Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Atacante do Chelsea é preso após suspeita de estupro em meio isolamento na Inglaterra

Jovem Hudson-Odoi foi preso após conhecer uma modelo online e recebe-la em casa. Modelo alega que sofreu abuso do atleta

Eduardo Suguiyama
Eduardo Suguiyama é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado).

Na noite deste domingo (17), a imprensa britânica começou a publicar a prisão do atacante do Chelsea e da seleção da Inglaterra Callum Hudson-Odoi, o jovem de apenas 19 anos foi preso após quebrar o isolamento forçado – lockdown – imposto na Inglaterra por conta da pandemia do novo coronavírus e o mais curioso é que uma modelo também estava junto e essa alega que foi violentada pelo atacante.

Siga o Torcedores também no Facebook

Assim como no Brasil, o isolamento muitas vezes não é respeitado em grande parte do mundo e prova disso é que até mesmo na Inglaterra o lockdown é quebrado e o caso mais recente mais chocante foi do jogador Hudson-Odoi, do Chelsea, que foi preso após chamar uma modelo que conheceu online para seu apartamento.

Acontece que essa modelo começou a passar mal e precisou chamar a polícia e a ambulância. Segundo o The Sun, isso aconteceu às 4h (horário local) e que a modelo teria chego na casa do atleta por volta das 20h.

Um porta-voz da polícia disse: ‘A Polícia e o Serviço de Ambulância de Londres foram chamados às 03:53hrs no domingo, 17 de maio, para um relatório de uma mulher doente.

“Quando os serviços de emergência compareceram, uma mulher informou que foi estuprada. Ela foi levada para o hospital”

Após todo o incidente, o jogador foi levado a delegacia e acabou preso, mas já foi liberado nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira após pagar fiança.

Hudson-Odoi

É um jovem atleta promissor, foi elogiado publicamente por Frank Lampard, técnico do Chelsea. Nos Blues já foram 58 partidas e 8 gols marcados.

Vale lembrar também que o jogador foi um dos primeiros atletas da Premier League a contrair o coronavírus, ainda em março.

LEIA MAIS