Você lembra quem fez o último gol do Cruzeiro antes da paralisação?

Clube celeste não vive um bom momento na temporada, com alguns tropeços antes da paralisação dos campeonatos

Raphaela Silva
Colaboradora do Torcedores.com.

Foto: Bruno Haddad/ Cruzeiro

A queda do Cruzeiro no ano passado para a segunda divisão reflete no começo de temporada do clube celeste. Até o momento o Cruzeiro ocupa a quinta colocação Campeonato Mineiro, não estando garantido para as fases finais da competição.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Pela Copa do Brasil, perdeu para o CRB em pleno Mineirão pelo placar de 2-0 e se complicou para o jogo da volta. Mas e aí, torcedor Cruzeirense, você se lembra do último gol marcado pelo Cruzeiro antes das paralisações? Caso a resposta seja não, relembre agora.

O último gol da Raposa foi marcado pelo jovem atacante Thiago, na derrota por 2-1 no clássico contra o Atlético Mineiro.  O jogo ocorreu no dia 7 de março, diante de mais de 50 mil torcedores no Mineirão.

Na ocasião o Galo saiu na frente ainda no primeiro tempo. Após cobrança de escanteio, o zagueiro Igor Rabelo marcou um golaço de calcanhar. Na segunda etapa o Cruzeiro conseguiu chegar ao empate. O atacante Thiago, que entrou no lugar de Maurício, empatou o jogo com um gol de cabeça, aproveitando o cruzamento de Edílson.

Com um time ainda em formação, o Cruzeiro conseguiu segurar o empate até os 47 minutos da etapa final, quando Otero acertou um belo chute de fora da área, sem chances para o goleiro Fábio, e colocou números finais à partida.

No jogo seguinte, contra o Coimbra, o Cruzeiro voltou a perder. Desta vez pelo placar de 1-0. A derrota resultou na demissão do técnico Adilson Batista, que foi contratado no final de 2019, com a árdua missão de livrar o clube do rebaixamento.

LEIA MAIS: 

Fábio dispara contra a Seleção: “Muitas vezes, treinador levou nomes pela amizade e não por merecimento”

Em nota, Vasco anuncia demissões: “Diante das circunstâncias, foi preciso tomar medidas mais duras”