Escolha da sede da Copa, volta nos EUA e mais: veja as principais notícias do futebol feminino em junho

Futebol feminino é destaque no resumo mensal do Torcedores.com

Cido Vieira
Jornalista em formação, e apaixonado por futebol desde criança. No Torcedores.com, trabalho como setorista do Botafogo e futebol nordestino

Crédito: Divulgação - Fifa

Embora o futebol esteja praticamente inerte em meio à pandemia do novo coronavírus, o mês de junho foi bastante agitado no âmbito feminino da modalidade. Houve escolha da nova sede do Mundial, Estados Unidos retomando as atividades com torneio provisório, time de Marta desistindo de competir e muito mais.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

NOVA SEDE COPA

Pela primeira vez na história a Copa do Mundo de futebol feminino será realizada na Oceania. Na última semana, a Fifa anunciou que Austrália e Nova Zelândia serão as sedes da próxima edição do mundial, a ser realizada em 2023. A campanha conjunta dos dois países da Oceania desbancou Japão e Colômbia. O Brasil chegou a participar do pleito inicialmente, mas por conta da pandemia resolveu declinar da disputa.

A decisão foi divulgada depois de votação entre os membros do conselho da entidade, que se reuniram através de videoconferência.

– Não é apenas uma Copa do Mundo Feminina. É uma Copa do Mundo. Temos que nos dar conta disso. Mulheres são 50% da população mundial, talvez mais. O que acontece no campo ali é futebol, com atletas habilidosos – disse o presidente da Fifa, Gianni Infantino.

JUVENTUS CAMPEÃ

Após uma reunião da Federação Italiana de Futebol (FIGC) no dia 25 de junho, a Juventus foi declarada campeã italiana. A equipe bianconera liderava o certame com nove pontos de frente para a Fiorentina. Em razão da pandemia do novo coronavírus, a entidade italiana seguiu a linha de outros grandes países da Europa e resolveu colocar um fim na competição. O elenco da Juventus conta com a brasileira Maria Alves, que inclusive renovou o seu contrato por mais uma temporada.

DESISTÊNCIA DO TIME DE MARTA

Em meio à pandemia do coronavírus que segue assolando os Estados Unidos, o Orlando Pride, time das brasileiras Marta e Camilinha, anunciou a sua desistência no torneio Challenge Cup. A decisão ocorreu após seis jogadores e quatro membros do departamento de futebol terem testado positivo para a doença.

“A NWSL anunciou hoje (segunda-feira) que seis jogadoras e quatro membros do departamento de futebol do Orlando Pride testaram positivo para Covid-19. Seguindo os protocolos da NWSL, uma segunda rodada de testes serão feitos para confirmar os resultados iniciais. Devido ao número de testes positivos, e o tempo necessário para retorno aos treinos e competição, o Orlando Pride desistiu de disputar a NWSL Challenge Cup”, diz a nota da NWSL.

GOL DE BRASILEIRA NA VOLTA

Na volta do futebol nos Estados Unidos, a brasileira Debinha anotou o primeiro tento da NWSL Challenge Cup, na vitória por 2 a 1 do North Carolina Courage sobre o Portland Thorns, no último sábado.

A competição feminina era pra ter começado em abril, mas teve o seu início alterado por conta da pandemia. Sem previsão para retomar a competição nacional em seu formato original, a National Women’s Soccer League (NWSL) criou a Challenge Cup, torneio curto que tem Utah como sede.

LIBERTADORES ADIADA

Através de uma reunião por videoconferência, a Conmebol confirmou a realização da Copa Libertadores Feminina 2020, contudo adiou a competição para o próximo ano. O Chile continua como sede do evento, que ainda não tem uma data definida. Em nota, a entidade sul-americana se resumiu a sinalizar a realização da Libertadores para o início de 2021.

LEIA MAIS: