Caio Ribeiro explica porque deixou a Inter de Milão e revela briga com treinador: “queria matar ele”

Jogador participou de quadro no Youtube e não escondeu irritação com ex-técnico

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/Youtube/Que Jogada!

O comentarista Caio Ribeiro, da TV Globo, foi o convidado do canal do Youtube Que Jogada! e fez uma revelação pouco citada sobre sua carreira como jogador.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes
https://www.facebook.com/TorcedoresOficial

Contratado pela Inter de Milão em dezembro de 1995 junto ao São Paulo, Caio era nome certo da Seleção Brasileira nas Olimpíadas de 1996, em Atlanta, mas ficou fora da relação final.

Seu time maltrata seu coração? 

Deixa que o Clude cuida dele para você!

Durante o programa o ex-atleta explicou o motivo de ter perdido o torneio, o que ocasionou também sua saída da Inter de Milão.

“Fiz o Pré-Olímpico, vencemos a Argentina na Argentina, mas a Inter (de Milão) não me liberou para ir para as Olimpíadas de 1996, em Atlanta”, iniciou o ex-atacante.

“Falei poucas vezes isso na TV, mas esse foi o motivo de eu ter saído da Inter. Eu peço para ser liberado nos amistoso que antecederiam as últimas partidas antes da Olimpíadas… E aquele ano desceram três caras, foi a primeira vez que desceram três acima da idade. Foram o Rivaldo, o Bebeto e o Aldair. Rivaldo e Bebeto meio ali da minha posição”, seguiu Caio, que complementaria a história.

“Daí a Inter não me liberou e eu bati o pé, pedi para ser liberado, falei que era importante, não me liberaram e eu perdi a Olimpíadas por causa disso, pedi para ir embora e fui para o Napoli.”

Leitor torcedor cuida da saúde pagando pouco!

Mas Caio não parou por aí e explicou quem foi o responsável por tirá-lo dos Jogos Olímpicos de 1996.

“Queria matar ele!”

“(Foi o) Roy Hogdson, técnico da Inglaterra na Copa do Mundo de 2014 aqui no Brasil, que era o técnico da Inter. Eu era o quarto estrangeiro, cheguei no meio da temporada. Tinha o Roberto Carlos, o Paul Ince e o (Javier) Zanetti. Nesse último amistoso o presidente falou: ‘te entendo e vou pedir para ele te liberar.’ Aí ele veio para falar comigo, o treinador, ele disse: ‘você vai jogar.’ Eu falei: ‘não, mas tem três estrangeiros’. E ele disse: ‘não, mas o Ince sentiu e você vai jogar.’ Era um jogo contra uma Olimpíada: ‘o Ince semana que vem está de volta e eu perco a Olimpíada, eu quero ir para a Seleção.’ Ele ficou bravo, falou que não abria mão porque tinha cota, aquela coisa de número de jogos que você podia ir. Chegou na hora da convocação, ele me convocou. Na hora do jogo, ele me deixou no banco. Eu queria matar ele. Tomei amarelo na minha primeira bola e sempre fui um cara muito disciplinado. Quase fui expulso porque eu sabia que a Olimpíada tinha ido embora e por isso pedi para o presidente me negociar, porque com ele (Hogdson) eu não trabalharia mais.”

Assista à revelação de Caio aos 23:20:

Leia mais:
Neto, Romário e mais: Por onde andam os jogadores do Brasil que perdeu a final das Olimpíadas de 1988?