Prévia tática: as armas de Sevilla e Internazionale na busca pelo título da Liga Europa

Luiz Ferreira destaca os pontos positivos e negativos dos finalistas da UEFA Europa League na coluna PAPO TÁTICO

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Reprodução / Facebook / UEFA Europa League

Duas camisas pesadas em busca de um título de bastante expressão. Sevilla e Internazionale entram em campo a partir das 16 horas desta sexta-feira (21) em Colônia, na Alemanha, em busca da conquista da Liga Europa, a segunda competição interclubes mais importante do Velho Continente. A decisão também vai reunir dois treinadores extremamente estudiosos, de personalidade forte e que pensam suas equipes de maneiras distintas. De um lado, teremos o jogo de passes e movimentação do espanhol Julen Lopetegui. Do outro, teremos o estilo que se impõe na base da força física e alta intensidade nas transições do italiano Antonio Conte. E isso sem mencionar o fato de que teremos oito títulos da UEFA Europa League em campo (cinco do Sevilla e três da Internazionale). Difícil não esperar outra coisa senão uma grande partida de futebol. Daquelas que você vai lembrar por muito tempo.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Em busca do hexacampeonato da Liga Europa, o Sevilla chega à decisão chancelado pelo futebol rápido e envolvente apresentado nas partidas da competição. Não somente pelo primeiro lugar no Grupo A, mas pelos números que comprovam a eficiência do esquema de jogo proposto por Julen Lopetegui. O 4-3-3 tem força na defesa (com o experiente Jesús Navas completamente adaptado à lateral-direita e o brasileiro Fernando na proteção da zaga), tem criatividade no meio-campo (com o argentino Banega em grande fase) e ainda conta com um veloz Youssef En-Nesyri abrindo espaços para as entradas de Ocampos e Suso em diagonal para as conclusões a gol. O Sevilla de Julen Lopetegui valoriza bem a posse da bola sem perder a intensidade. E seus atacantes sabem abrir espaços como poucos no futebol europeu. É equipe que merece o máximo respeito. Ainda mais pela história na competição.

Já a Internazionale parte em busca do seu quarto título da Liga Europa com uma equipe experiente e que se impõe diante dos seus adversários na base da força física. Vale lembrar que o 5-3-2 de Antonio Conte funciona com força na marcação sem abrir mão do bom futebol. Se Godín, De Vrij e Bastoni se encaixaram muito bem, o mesmo pode se falar dos alas D’Ambrosio e Ashley Young. Quando a Inter tem a bola, os dois viram verdadeiros pontas. Principalmente o inglês. Ao mesmo tempo, temos um meio-campo formado por Brozovic, Gagliardini e Barella. Jogadores que marcam e sabem jogar. Principalmente o camisa 23 com boas descidas pela direita junto com o já mencionado D’Ambrosio. Mas a cereja do bolo está naquela que pode ser considerada uma das melhores duplas de ataque da atualidade: Lukaku e Lautaro Martínez. A dupla Lu-La. É equipe de camisa pesada e que quer retomar o protagonismo.

A alta intensidade e constante movimentação do Sevilla vai enfrentar a força física e o jogo vertical da Internazionale. Julen Lopetegui e Antonio Conte são dois treinadores que enxergam o futebol de maneira bem característica e refletem isso nas suas equipes. Promessa de um grande jogo em Colônia.

O meio-campo é o setor que nos reserva o duelo mais interessante. E a curiosidade deste que escreve está na maneira como Julen Lopetegui vai interceptar as bolas longas buscando a habilidade de Lautaro Martínez e a força física de Lukaku. Ao mesmo tempo, Éver Banega pode ter trabalho com Barella e D’Ambrosio caindo pelo seu setor, ponto que pode exigir do argentino Ocampos (uma das dúvidas do Sevilla para a final da Liga Europa) um pouco mais de ajuda na marcação. O mesmo deve acontecer do outro lado, com as descidas em alta velocidade do ofensivo Ashley Young pra cima de Jesús Navas. No entanto (e como diriam os mais antigos), o vento que venta lá, venta cá. Os laterais do Sevilla também são bastante presentes no apoio e participam ativamente das jogadas de ataque. E nesse ponto, a marcação sob pressão no campo adversário do escrete espanhol pode ser um trunfo considerável.

Teremos oito títulos da Liga Europa em campo em Colônia e o embate entre duas equipes com características e modos de jogar bem definidas pelos seus treinadores. E nesse duelo tático entre Julen Lopetegui e Antonio Conte, quem sai vencedor é o amante do futebol. Sevilla e Internazionale possuem todas as condições de fazer um grande jogo nesta sexta-feira (21). É o que este que escreve espera ansiosamente.

LEIA MAIS:

Sevilla x Inter de Milão: saiba como assistir à final da Liga Europa AO VIVO

Veja o histórico de gols de Neymar em finais antes da decisão da Liga dos Campeões