Diniz diz não se abalar com pedidos por demissão no São Paulo

Vitória sobre o Atlético-GO encerrou jejum de vitórias do Tricolor

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Rubens Chiri / saopaulofc.net

O São Paulo trouxe algum alívio para si ao bater o Atlético-GO por 3 a 0 na última quarta-feira (7) pelo Campeonato Brasileiro. E especialmente para Fernando Diniz, ainda criticado pela torcida e pressionado por sua demissão.

Após a partida, o treinador tratou de minimizar os pedidos daqueles que anseiam por vê-lo fora do Morumbi. Diniz afirmou que já se adaptou à forte pressão de um time como o Tricolor e que não se intimida com os detratores.

“Estou me sentindo bem, melhor ainda com a vitória. Ser técnico do São Paulo é isso. Todos os treinadores que passaram tiveram esses momentos de pressão. Temos que saber respeitar a insatisfação do torcedor e trabalhar muito para poder vencer”, declarou, segundo o Uol Esporte.

Diniz ainda negou a existência de uma reunião que teria aconteceu após o empate com o Coritiba com dirigentes do Tricolor. No caso tais conversas seriam apenas um expediente que o treinador faz no dia a dia no clube.

“Não tive reunião com a diretoria, nem sei de onde vocês (jornalistas) tiraram isso. Eu, o (gerente de futebol Alexandre) Pássaro e o (diretor de futebol) Raí conversamos muito desde a hora em que chego ao CT até quando vou embora. Conversamos sempre e com o presidente (Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco). Estamos com saudade do Leco, nosso presidente. Comigo, a conversa foi franca, muito aberta. Nada de reunião formal”, disse.

LEIA MAIS

São Paulo: Diniz defende trabalho e afirma que time poderia ter ganho de 3 a 0 mais vezes

(Crédito da foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)