De saída? Rogério Ceni diz que teme deixar o Fortaleza com estádio vazio

Treinador comemorou mais uma conquista pelo Fortaleza nesta quarta. Em entrevista, porém, deixou torcedores com medo de uma possível saída

Rafael Brayan
Estudante de jornalismo. Colaborador especialista e editor-plantonista do Torcedores.Twitter: @rafaelbrayan_

Crédito: Divulgação/Fortaleza

O Fortaleza conquistou o Campeonato Cearense nesta quarta-feira (21), contra o Ceará. No comando da equipe, o treinador Rogério Ceni chegou ao quarto título oficial da carreira: Série B de 2018, Copa do Nordeste de 2019 e as duas últimas edições do Estadual.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Apesar de mais uma conquista, uma declaração de Rogério Ceni chamou a atenção dos torcedores. Em entrevista após o título, o treinador afirmou que não gostaria de se despedir em um jogo com estádio vazio pelo Fortaleza.

“Lamento muito não comemorar um título com a torcida aqui dentro. Uma das coisas que mais tenho receio e fico com medo é de não conseguir me despedir disso com a casa cheia. Seria uma tristeza muito grande. Como a gente não sabe como nossa carreira segue, seria a coisa mais triste para mim não conseguir me despedir sem a presença do torcedor”, declarou Rogério Ceni.

Apesar disso, o treinador do Fortaleza comemorou mais um título pela equipe. “Fico muito feliz porque esses caras trabalham demais, me suportam, são extremamente dedicados e trabalhadores, acho que dedico esse título também à torcida. Lamentamos muito ver o Castelão vazio no dia de hoje, mas tenho certeza que cada um está comemorando onde quer que esteja. Era possível vencer esse ano e a gente entrega um bicampeonato, o quarto título em três anos aqui. Agora é tentar descansar, porque domingo é uma batalha árdua”, afirmou.

“Quando você chega no final, sempre trabalhei em lugares que chegar numa final significa lutar até o fim, hoje conseguimos mais uma vez colocar mais uma taça na mão do Fortaleza. Isso significa um cansaço para domingo, mas representa alegria e confiança, que levamos aqui. O que perdemos nas pernas, ganhamos na alma e no coração”, completou Rogério Ceni.

VEJA TAMBÉM:

Rejeição à filha, ditadura e mais: 5 polêmicas fora dos gramados de Pelé

Fifa atualiza ranking de seleções em 2020; veja a posição do Brasil