Diogo Silva: “Haverá muitos protestos nos Jogos Olímpicos”

Diogo Silva foi eleito presidente da comissão de atletas do COB

Carlos Lemes Jr
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/Youtube

A ebulição social de 2020 continuará nos Jogos Olímpicos de Tóquio, marcados para julho de 2021. Essa é a previsão que Diogo Silva, campeão Pan-americano no Taekwondo faz.

“Eu acredito que nos Jogos Olímpicos haverá uma avalanche de manifestações. O mundo está em crise. Numa crise humanitária. A extrema direita conseguiu um aumento significativo no mundo. Na Bielorrússia, Etiópia e Nigéria tem ditaduras, genocídios.”, vaticina o ex-lutador no canal Vamo Pro Jogo.

Agora, Diogo tem a chance de acompanhar toda essa movimentação de um cargo especial: no último dia 11 de novembro, Diogo Silva foi eleto presidente da comissão de atletas do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) com 47 votos. A segunda colocada foi Poliana Okimoto com 46. O colégio eleitoral foi formado por 374 atletas ao todo.

E uma das metas de Silva a frente da comissão é rever a proibição para que atletas possam se manifestar, politicamente, durante os Jogos.

“Os Jogos Olímpicos já são um lugar para manifestações. Esse mundo em que vivemos está impulsionando os atletas a mostrarem como eles vivem, dentro de seus países”, reforça na mesma entrevista.

Além de ouro no Pan de 2007 no Rio de Janeiro, Diogo Silva participou de duas edições dos Jogos Olímpicos. Tanto em Atenas (2004) e Londres (2012), o paulista de São Sebastião ficou em quarto lugar.

LEIA MAIS

Daniel Dias mostra resiliência na preparação para Tóquio: “Minha motivação é poder melhorar o tempo todo”