Consistência e jogo coletivo: Real Madrid mostra que tem condições de ir bem longe nessa temporada

Na coluna PAPO TÁTICO, Luiz Ferreira analisa a boa vitória sobre a Internazionale pela Liga dos Campeões

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Reprodução / Twitter / UEFA Champions League

A principal virtude do Real Madrid na vitória sobre a Internazionale foi a tranquilidade. Sem exagero. O escrete merengue deu sinais de que pode deixar a fase irregular para trás e finalmente voltar para os trilhos na partida realizada nesta quarta-feira (26), em Milão. Principalmente quando a equipe se comportou bem dentro de campo apesar dos desfalques pesados de Sergio Ramos e Benzema. Os comandados de de Zinedine Zidane foram pacientes para encontrar espaços na defesa do time de Antonio Conte e ainda aproveitaram a superioridade numérica para controlar a partida e não sofrer sustos. São atuações como essas que fazem o torcedor se perguntar aonde o Real Madrid pode chegar nessa temporada. Se mostrar essa mesma consistência e bom jogo coletivo, a tendência é que o escrete da capital espanhola possa ir mais longe do que muita gente pensa.

Mas é preciso dizer que a Internazionale também facilitou (e muito) a vida do Real Madrid. A começar pela postura do meio-campo nerazzurri na partida, extremamente recuado e procurando as bolas longas para a velocidade de Lukaku e Lautaro Martínez no ataque a partir do 5-3-2 costumeiro de Antonio Conte. Com linhas de marcação bem altas, muitos jogadores no campo de ataque e um gol marcado logo aos cinco minutos (com Hazard cobrando pênalti sofrido por Nacho Fernández), o Real Madrid foi controlava a partida com Modric e Kroos ditando o ritmo e buscando a aproximação com o quarteto ofensivo merengue a partir do 4-2-3-1 de Zidane. Difícil não notar como o meio-campo da Internazionale pecava demais pela lentidão nas transições e como o escrete espanhol soube fechar os espaços no seu campo. Ótima atuação coletiva do Real Madrid. Mesmo desfalcado e jogando fora de casa.

Internazionale vs Real Madrid - Football tactics and formations

O Real Madrid bloqueou espaços e ocupou o campo de ataque a partir do 4-2-3-1 de Zinedine Zidane. Sem ter como sair da defesa, a Internazionale tentou acionar a dupla Lautaro e Lukaku através das bolas longas, mas viu seu adversário fechar os espaços e as principais válvulas de escape do escrete de Antonio Conte.

Este que escreve marcaria a penalidade de Varane em cima de Vidal justamente pelo fato do lance ser idêntico ao pênalti sofrido por Nacho Fernández após toque de Barella. Por outro lado, é impossível não concluir que o destempero do chileno e a “peitada” em cima do árbitro inglês Anthony Taylor praticamente acabaram com qualquer chance de reação da Internazionale. O que estava ruim ficou ainda pior com dez em campo. Enquanto isso, o Real Madrid ia controlando os espaços no meio-campo e ditando o ritmo da partida sem sofrer muitos sustos no estádio Giuseppe Meazza. Os números do SofaScore (ver nos twetts abaixo) mostram bem essa superioridade merengue. Tanto que o goleiro Courtois só foi fazer a sua primeira defesa na partida aos 36 minutos da segunda etapa em chute cruzado de Perisic. A Inter jogava bem abaixo do que podia e a expulsão de Vidal complicou ainda mais a situação.

Antonio Conte ainda tentou modificar o panorama com a mudança para um 4-4-1 com a entrada do lateral D’Ambrosio no lugar de Bastoni, do chileno Alexis Sánchez na vaga de Hakimi e do já citado Perisic no lugar do apagado Lautaro Martínez. Mesmo assim, o panorama não sofreu grandes modificações, já que Zidane respondeu sacando Mariano Díaz e Ödegaard para as entradas dos brasileiros Casemiro e Rodrygo. Bastou forçar um pouco para que o ex-atacante do Santos completasse cruzamento de Lucas Vázquez para as redes e praticamente acabasse com qualquer chance de reação da Internazionale. O que se viu daí até o apito final foi um Real Madrid que controlou bem o jogo a partir da ocupação do campo de ataque e que não deu chances ao seu adversário. Não foi por acaso que os comandados de Zinedine Zidane superaram a Inter em todas as estatísticas após a partida em Milão.

É bem verdade que o Real Madrid mostrou a sua força e potencial para fazer uma boa campanha nessa edição de 2020/21 da Liga dos Campeões da UEFA. O grande questionamento do torcedor merengue é aonde essa equipe pode chegar. Jogadores experientes (e vitoriosos) como Kroos, Modric, Sergio Ramos e Benzema já estão na casa dos trinta anos de idade e sentem o desgaste por conta da maratona de jogos. Ao mesmo tempo, jovens como Asensio, Vinícius Júnior, Rodrygo e Ödegaard ainda oscilam demais de uma partida para outra e parecem ainda um pouco “verdes” para segurar o tranco em compromissos mais importantes. Mas é exatamente por isso que a vitória sobre a Internazionale e a atuação do escrete merengue deve sim ser celebrada. Zidane está, aos poucos, encontrando o tom certo entre experiência e juventude num elenco que ainda pode render ótimos resultados dentro de campo.

O resultado desta quarta-feira (25) coloca o Real Madrid numa situação muito mais confortável no Grupo B da Liga dos Campeões da UEFA. Os três pontos conquistados em Milão deixam claro a equipe vem se arrumando e se adaptando aos desfalques e a todo um contexto diferenciado por conta da pandemia de COVID-19. Os merengues podem sim chegar longe. Há potencial e material humano para isso.

LEIA MAIS:

Será? Jornal lista reaproximação pública de CR7 com Real Madrid e cita possível volta ao clube

Técnico da Inter de Milão detona direção: “presidente está na China e uma montanha de m… caiu sobre mim e sobre os jogadores”