Toto Wolff elogia Pérez, Ocon e Russell, mas dispara contra erros da Mercedes em Sakhir: “Cagada colossal”

Em entrevista coletiva após o GP Sakhir 2020, Toto Wolff aproveitou para elogiar George Russell, que substituiu Lewis Hamilton, Sergio Pérez e Esteban Ocon

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

O GP Sakhir 2020 foi histórico por uma série de fatores. Com voltas abaixo de um minuto e utilizando um traçado externo ao do autódromo original, a corrida foi a primeira vitória na carreira de Sergio Pérez na Fórmula 1 – a primeira de um mexicano em 50 anos na categoria. Isso aconteceu, também, por uma série de erros da Mercedes com os pilotos no fim de semana. Toto Wolff, chefe da escuderia, confirmou as afirmações em entrevista coletiva.

Após a corrida, ele foi enfático sobre os problemas enfrentados pela escuderia. “Para nós, da Mercedes, hoje foi uma cagada colossal em Sakhir. Sei que não posso dizer isso, mas é o que foi. Uma das equipes de mecânicos não ouviu o chamado, o rádio estava com problema na garagem. E, quando o carro chegou, não sabiam que estávamos com os pneus errados. Por isso que fomos para a pista com os jogos errados”, disparou Toto Wolff.

Ao falar especificamente sobre as escolhas de pneus, grande motivadora da confusão nos boxes, o chefe também não se furtou a criticar a equipe. “Tivemos de parar novamente, claro, mas ali a corrida não estava perdida. Era uma parada de segurança. Estávamos bem com o duro e poderíamos ter ficado na pista, mas tínhamos a diferença e você faz isso. Pode questionar, mas acredito que é a estratégia certa. Falhas técnicas acontecem e não foi um erro humano. Não sabemos o motivo, mas essas coisas acontecem e precisamos aprender com isso”, destacou Toto Wolff.

Russell, Pérez e Ocon

Vencedor e segundo colocado do GP Sahkir 2020 mereceram elogios de Toto Wolff. “O pódio foi ótimo de se ver, é sempre renovador ver um novo pódio. Hoje, com Esteban Ocon, fico feliz que tenha conseguido. Checo Pérez também tinha um ritmo incrível”

Quem também ouviu palavras doces foi George Russell. Escolhido para substituir Lewis Hamilton, que testou positivo para coronavírus, ele era o líder da prova até as trapalhadas da equipe alemã. “Foi muito emotivo, pois está em sua primeira corrida e deveria ter vencido após uma corrida monumental, não se tem o que dizer. Não é a última chance que vai ter de vencer corridas. Foi algo que não deu certo hoje. Uma nova estrela nasceu”, vaticinou o dirigente.

LEIA MAIS
Nomes ligados ao automobilismo e fãs de corridas lamentam morte de Niki Lauda no Twitter
25 anos depois, relembre números e recordes de Ayrton Senna na Fórmula 1
Ricciardo dá ré, bate em outro piloto e abandona GP do Azerbaijão; imagem viraliza no Twitter