Felipão defende protesto de jogadores do Cruzeiro sobre salários atrasados

Grupo da Raposa decidiu não tomar parte de concentração antes do jogo contra o Oeste; são mais de três meses de salários atrasados do elenco

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro

A derrota do Cruzeiro para o Oeste por 1 a 0 nesta quarta-feira (13) teve ingredientes mais complicados do que apenas perder para o último colocado do Campeonato Brasileiro da Série B, como uma espécie de ‘protesto’ do elenco, que não se concentrou para a partida.

A decisão foi motivada pelos atrasos salariais na Raposa, com três meses ainda não pagos pelo clube, além do 13º, aos atletas. Na coletiva, Felipão defendeu o protesto dos jogadores vendo isto como um recurso para tentarem ser ouvidos pela diretoria.

“Entendi perfeitamente que é uma forma de tentar conversar com a direção. Foi tudo bem cada um foi para sua casa. dormindo tranquilamente como dormem todos os dias nas semanas que antecedem aos jogos. Ou naqueles dias que não estamos jogando”, declarou Felipão.

A insatisfação com os atrasos também chegou ao treinador, que consideraria deixar o Cruzeiro ao final da Série B por ver que a diretoria não cumpriu a promessa de manter os salários em dia, feita na época de sua contratação por parte da Raposa.

“Eles vão para casa normalmente. Se comprometeram a ir para casa, temos os cuidados necessários. Aconteceu tudo normalmente. Tranquilamente, não tem nenhum problema nesse sentido”, afirmou.

LEIA MAIS

Cruzeiro terá de pagar R$ 8 milhões à União por dívida de FGTS

(Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)