Quem são os candidatos para MVP e melhores jogadores da NFL

Confira quem são os jogadores candidatos a melhores jogadores da temporada da NFL nos prêmios de MVP, OPOY, DPOY, OROY, DROY e CPOY

Érica Barros
Colaborador do Torcedores

Crédito: Dale Zanine-USA TODAY Sports

Após 17 semanas do seu início, em 10 de setembro de 2020, acabou a temporada regular da NFL. Em um ano em que uma pandemia parou o mundo, a liga conseguiu terminar a temporada mais atípica de sua história sem cancelar nenhum jogo, mas não sem causar polêmicas. Porém, dentro de campo, os times seguiram batalhando, buscando seus objetivos e os jogadores seguiram apresentando o seu melhor. 

No NFL Honors, dia 6 de fevereiro de 2021, os melhores da temporada receberão as premiações de jogador mais valioso (MVP), melhor jogador ofensivo e defensivo (OPOY e DPOY), melhor calouro ofensivo e defensivo (OROY e DROY), comeback player do ano. Quem são os candidatos?

MVP – Aaron Rodgers (GB), Patrick Mahomes (KC), Josh Allen (BUF)

A última vez que um quarterback não foi escolhido como Most Valuable Player (jogador mais valioso) da temporada regular da NFL foi em 2012. A principal posição de um time de futebol americano levou o prêmio 44 vezes dos 65 jogadores já escolhidos. Assim, os três principais candidatos ao prêmio de MVP são:

Aaron Rodgers, quarterback, Green Bay Packers

372 passes completos | 4.299 jardas | 48 touchdowns | 5 interceptações | 70,7% de passes completos

Escolhido duas vezes como MVP (2011 e 2014), o quarterback do Green Bay Packers é um dos principais candidatos ao prêmio neste ano. Campeão da NFC Norte e seed número 1 da Conferência Nacional, Rodgers foi o líder da posição em alguns aspectos. Ele foi o quarterback com mais touchdowns (48), melhor porcentagem de passes completos (70,7%) e teve o melhor QB rate da liga (121,5). A-Rod teve seis jogos de quatro touchdowns e nenhuma interceptação e ganhou destaque da própria NFL em 11 dos 16 jogos dos Packers. Com apresentações eficientes mas também atrativas aos olhos, assistir Rodgers jogando nesta temporada era certeza de que se passaria o jogo em reverência. 

Patrick Mahomes, quarterback, Kansas City Chiefs

390 passes completos | 4.740 jardas | 38 touchdowns | 6 interceptações | 66,3% passes completos

Outro jogador que era certeza de apresentações lindas era Patrick Mahomes, quarterback do Kansas City Chiefs. Melhor jogador da temporada 2018 e do Super Bowl LIV, em 2019, Mahomes não conseguiu repetir a temporada primorosa que lhe rendeu o prêmio de MVP mas segue enchendo os olhos com passes inacreditáveis. Ele ajudou os Chiefs a garantir o título da AFC Oeste e a seed 1 da Conferência Americana. Terminou a temporada como o quarterback com melhor média de jardas por jogo (316) e segundo na posição com mais jardas aéreas (4.740). Muito graças ao número 15 de Kansas City, o time é o favorito a vencer o Super Bowl novamente.

Josh Allen, quarterback, Buffalo Bills

396 passes completos | 4.544 jardas | 37 touchdowns aéreos | 10 interceptações | 69,2% passes completos | 8 touchdowns corridos

Se a NFL tivesse o prêmio de Most Improved Player, tal qual a NBA dá para o jogador que mais evoluiu de uma temporada para outra, com certeza Josh Allen seria o vencedor. O quarterback ajudou o Buffalo Bills a conquistar o título da AFC Leste pela primeira vez desde 1995 – quando Allen sequer era nascido ainda. Em 2020, ele quebrou o recorde da franquia de passes para touchdown (37) e jardas aéreas (4.544) que pertenciam a Jim Kelly (33 em 1991) e Drew Bledsoe (4.359 em 2002) respectivamente. Já se sabia de sua qualidade atlética desde o início de sua carreira na NFL em 2018, porém foi em 2020 que o jogador se tornou um quarterback que passa muito bem a bola. 

OPOY – Derrick Henry (TEN), Alvin Kamara (NO), Davante Adams (GB)

O prêmio de Offensive Player of the Year (jogador ofensivo do ano) é dado para o melhor jogador de ataque da temporada regular. Apenas dois jogadores que não são quarterbacks ou running backs venceram, os wide receivers Jerry Rice (1987 e 1993) e Michael Thomas (2019), e provavelmente seguirá assim. Os três principais candidatos ao prêmio de OPOY são:

Derrick Henry, running back, Tennessee Titans

378 corridas | 2.027 jardas | 17 touchdowns | 126,7 jardas por jogo

Em 2020, Derrick Henry se tornou apenas o 8º jogador a correr para mais de 2.000 jardas em uma temporada. O running back do Tennessee Titans se juntou a OJ Simpson (1973, BUF), Eric Dickerson (1984, LAR), Barry Sanders (1997, DET), Terrell Davis (1998, DEN), Jamal Lewis (2003 , BAL), Chris Johnson (2009, TEN) e Adrian Peterson (2012, MIN) no Clube das 2.000 jardas corridas. Henry foi o running back com mais corridas (378), jardas terrestres (2.027), touchdowns corridos (17) e jardas totais (2.141) na liga em 2020. Se não houvesse o costume de dar o prêmio de MVP para um quarterback, Derrick Henry seria um dos favoritos. Sendo assim, ele é um dos principais nomes para vencer o OPOY.

Alvin Kamara, running back, New Orleans Saints

187 corridas | 932 jardas terrestres | 83 recepções | 756 jardas aéreas | 16 touchdowns terrestres | 5 touchdowns aéreos | 21 touchdowns totais

Alvin Kamara foi o resumo do ataque do New Orleans Saints em uma temporada que os dois outros grandes nomes, o quarterback Drew Brees e o wide receiver Michael Thomas, ficaram muito tempo fora por conta de lesões. Ele foi o líder da NFL em touchdowns totais (21) e o terceiro colocado em jardas totais (1.732), além de ter igualado um recorde de 91 anos ao marcar seis touchdowns corridos em apenas um jogo. A principal questão com Alvin Kamara é que ele não é uma ameaça apenas correndo, mas também no jogo aéreo. Se não tivesse testado positivo para COVID-19, ele provavelmente teria quebrado a marca de 1.000 jardas corridas em uma temporada, algo que nunca fez desde que entrou na liga em 2017. Por conta de sua produtividade em campo, é um dos principais nomes para o prêmio de OPOY.

Davante Adams, wide receiver, Green Bay Packers

115 recepções | 1.374 jardas | 18 touchdowns | 98,1 jardas por jogo | 77,2% de aproveitamento em recepções

O último nome forte para melhor jogador ofensivo de 2020 da NFL é Davante Adams, que teve uma temporada primorosa como wide receiver número 1 dos Packers. Líder de recepções para touchdown (18) e jardas aéreas por jogo (98,1) na liga, o número 17 de Green Bay teve sua melhor temporada desde que entrou na liga em 2014. Adams é um dos melhores – se não o melhor – corredores de rotas da liga, muitas vezes vencendo dos defensores na linha de scrimmage. Ele foi o homem de confiança de Aaron Rodgers durante todo ano. 

DPOY – TJ Watt (PIT), Aaron Donald (LAR), Xavien Howard (MIA)

O Defensive Player of the Year (jogador defensivo do ano) é dado para o melhor jogador de defesa da temporada regular da liga. Normalmente, jogadores de linha defensiva são os nomeados, sendo só 11 defensive backs vencedores em 49 nomes desde 1971. Os três principais candidatos ao prêmio de DPOY são:

TJ Watt, outside linebacker, Pittsburgh Steelers

15 sacks | 23 tackles para perda de jarda | 41 quarterback hits | 2 fumbles forçados | 1 interceptação | 53 tackles totais

TJ Watt é um dos líderes da forte defesa do Pittsburgh Steelers e seu melhor jogador. O outside linebacker foi o líder da liga em sacks (15), tackles para perda de jardas (23), quarterback hits (41) e pressões em cima do quarterback (55). Junto com Aaron Donald, que será citado a seguir, TJ Watt é o maior inimigo de quarterbacks por toda a liga. Por conta disso, é pelo segundo ano consecutivo um dos principais nomes para vencer na categoria.

Aaron Donald, defensive tackle, Los Angeles Rams

13,5 sacks | 14 tackles para perda de jarda | 26 quarterback hits | 4 fumbles forçados | 45 tackles totais

Aaron Donald já venceu o prêmio de melhor jogador defensivo do ano duas vezes, em 2017 e 2018. Merecidamente, o jogador desde então é considerado o melhor em sua posição e é sempre citado como um dos candidatos a vencer novamente. O defensive tackle vem sendo escolhido para o primeiro time All-Pro da liga em todas as temporadas desde 2015. Donald teve ano com alguns números mais modestos em 2020, mas ainda assim foi o segundo jogador com mais sacks (13,5) e terceiro em pressão em cima do quarterback (42).

Xavien Howard, cornerback, Miami Dolphins

10 interceptações | 20 passes defendidos | 1 fumble forçado | 51 tackles totais

Por mais que a premiação provavelmente vá ficar entre TJ Watt e Aaron Donald, Xavien Howard merece ser citado. O cornerback do Miami Dolphins foi o líder da NFL em interceptações (10) e passes defendidos (20) – o primeiro jogador a interceptar a bola dez vezes em uma temporada desde 2007, quando Antonio Cromartie fez pelo San Diego Chargers. Howard ajudou o time da Flórida a ser o time que mais roubou a bola, junto com Pittsburgh Steelers, New Orleans Saints e New England Patriots.  

OROY – Justin Herbert (LAC), Justin Jefferson (MIN), Jonathan Taylor (IND) 

Vamos para as premiações dos calouros? O Offensive Rookie of the Year é dado para o melhor jogador em sua primeira temporada na liga. Em 63 vezes que o prêmio foi distribuído, os corredores venceram sua maioria: running backs, fullbacks e halfbacks conquistaram 39 vezes o OROY. Em 2020, os principais candidatos são:

Justin Herbert, quarterback, Los Angeles Chargers

396 passes completos | 4.336 jardas | 31 touchdowns aéreos | 10 interceptações | 66,6% passes completos | 5 touchdowns corridos

A sexta escolha geral do draft de 2020 da NFL foi Justin Herbert, pelo Los Angeles Chargers. Produto da Universidade de Oregon, o quarterback iniciou a temporada como reserva de Tyrod Taylor e após um problema de saúde polêmico do QB, Justin Herbert ganhou a posição de titular. Logo em seu primeiro jogo, contra os atuais campeões Kansas City Chiefs, o calouro mostrou que estava pronto para a NFL. Justin Herbert terminou a temporada regular da NFL de 2020 como o calouro com mais touchdowns totais (36), passes para touchdowns (31), passes completos (396), jogos com 300 jardas em passe (8), jogos com mais de um passe para touchdown (10) e jogos com três passes para touchdown (6). Além das ótimas partidas do calouro, os recordes falam por si. Dificilmente ele não será o calouro ofensivo do ano.

Justin Jefferson, wide receiver, Minnesota Vikings

88 recepções | 1.400 jardas | 7 touchdowns | 87,5 jardas por jogo | 70,4% de aproveitamento em recepções

Justin Jefferson foi a 22º escolha geral do draft de 2020 da NFL, o quinto wide receiver a ser selecionado em uma classe historicamente boa na posição. Produto de LSU, Jefferson também teve uma temporada de quebra de recordes: superou a marca de jardas recebidas por um calouro, com 1.400. Ele foi o líder no quesito no Minnesota Vikings e o quarto na NFL – atrás de nomes como Stefon Diggs, Travis Kelce e DeAndre Hopkins. Junto com Adam Thielen, Justin Jefferson foi uma das melhores armas para Kirk Cousins. Ele é um dos principais nomes desta classe de calouros de 2020.

Jonathan Taylor, running back, Indianapolis Colts

232 corridas | 1.169 jardas terrestres | 36 recepções | 299 jardas aéreas | 11 touchdowns terrestres | 1 touchdown aéreo

Escolha de segunda rodada no draft de 2020 pelo Indianapolis Colts, o running back Jonathan Taylor foi mais um calouro com destaque na temporada. O produto da Universidade de Wisconsin começou a temporada com números mais modestos, porém no fim da mesma engrenou e tornou-se um dos running backs que mais chamou atenção na liga. Líder em touchdowns (11) e jardas corridas (1.169) nos Colts, ele foi o terceiro RB em jardas na NFL, atrás apenas de Derrick Henry e Dalvin Cook. 

DROY – Chase Young (WAS), Jeremy Chinn (CAR), Antoine Winfield Jr. (TB)

O prêmio de Defensive Rookie of the Year é dado para o melhor calouro defensivo da temporada regular. Ao longo dos anos, os linebackers dominam as nomeações com metade dos vencedores. Em 2020, os principais candidatos para DROY são:

Chase Young, defensive end, Washington Football Team

7,5 sacks | 12 quarterback hits | 10 tackles para perda de jardas | 4 fumbles forçados | 3 fumbles recuperados | 1 fumble retornado para touchdown | 44 tackles totais

Segunda escolha geral no draft de 2020, Chase Young era considerado como o melhor prospecto desta classe. Produto de Ohio State, o defensive end foi o terror de muitos quarterbacks nesta temporada. Escolhido como um dos capitães do time durante a temporada, Chase Young demonstrou qualidade não apenas no jogo, mas também como líder. Segundo jogador com mais sacks no time de Washington, o DE é sem dúvidas o candidato mais provável a vencer o prêmio de DROY. 

Jeremy Chinn, outside linebacker e free safety, Carolina Panthers

117 tackles totais | 1 interceptação | 5 passes defendidos | 2 fumbles retornados para touchdown | 1 sack | 5 quarterback hits

Escolhido na segunda rodada do draft de 2020, Jeremy Chinn se mostrou como um dos melhores jogadores defensivos calouros da liga. Produto da Universidade de Southern Illinois, ele foi o único jogador da liga com dois fumbles retornados para touchdown – que, inclusive, ocorreram no mesmo jogo. Chinn foi o líder dos Panthers em tackles totais. Em uma defesa que Aaron Rodgers chamou de “estranha”, o jogador às vezes alinhava no fundo do campo e às vezes no front seven. Com certeza, é um dos grandes nomes da classe de calouros.

Antoine Winfield Jr., safety, Tampa Bay Buccaneers

94 tackles totais | 1 interceptação | 6 passes defendidos | 2 fumbles forçados | 3 sacks | 4 quarterback hits

Escolhido na segunda rodada do draft de 2020, Antoine Winfield Jr. foi titular do Tampa Bay Buccaneers desde o início da temporada. Produto da Universidade de Minnesota, o safety foi um dos principais nomes do time da Flórida, sendo o terceiro na franquia em tackles totais (94) e fumbles forçados (2). É um dos principais jogadores de defesa da classe de 2020.

Comeback Player of the Year – Alex Smith (WAS)

Antes da temporada iniciar, se falavam em dois nomes para o prêmio de Comeback Player of the Year (CPOY) – que é dado para jogadores que superaram adversidades, seja dentro do campo ou fora dele, e retornaram para o jogo no nível da NFL. Ben Roethlisberger e Cam Newton eram jogadores considerados para o prêmio. Quando se iniciou o assunto de qual jogador seria o escolhido para ganhar o prêmio, não se sabia ainda se Alex Smith retornaria aos gramados. 

Smith, quarterback do Washington Football Team, teve uma fratura exposta de tíbia e fíbula na perna direita na temporada de 2018 e sofreu com sérias complicações pós-cirurgia, inclusive tendo sua vida colocada em risco por conta de uma infecção. Indo contra tudo que se imaginava, Alex Smith se recuperou e retornou aos gramados. O jogador não começou a temporada de 2020 como titular, porém após Dwayne Haskins ter performances ruins e Kyle Allen sofrer uma lesão, ele se viu novamente no posto de QB1. 

Alex Smith jogou oito partidas, sendo seis dessas como titular, venceu cinco delas e ajudou o Washington Football Team a conquistar o título da NFC Leste, além da vaga para os playoffs. Em uma divisão que ficou nivelada para baixo, o time da capital americana foi campeão com recorde negativo de sete vitórias e nove derrotas. O quarterback terminou a temporada regular com 168 passes completos de 252 tentativas para 1.582 jardas, seis touchdowns e oito interceptações. Ele ficou em 14º na liga em porcentagem de acerto de passe (66,7%) e teve um quarterback rate de 78,5.

No fim, a questão com Alex Smith não passa por números, estatísticas e rankings. É sobre a história de superação de um jogador que não sabia se iria sobreviver e conseguiu retornar aos gramados e jogar em nível de NFL. O prêmio de Comeback Player of the Year pertence a Alex Smith e deveria ter seu nome alterado em homenagem ao quarterback que demonstrou perseverança, determinação, coragem e tanto amor ao jogo de futebol americano.

LEIA MAIS

Quem será o MVP de 2020: Patrick Mahomes ou Aaron Rodgers?

Quem são os candidatos aos prêmios de Jogador Defensivo e Ofensivo do ano na NFL