Renato revela o jogador mais “incrível” que treinou e reafirma que foi melhor que Cristiano Ronaldo: “Queria vê-lo aqui”

Técnico Renato Portaluppi revelou que Romário foi o atleta mais “incrível” que teve a chance de comandar

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Em uma divertida entrevista com o jornalista do Grupo RBS, Duda Garbi, que interpretou o inesquecível comunicador gremista já falecido Paulo Sant’Ana, o técnico Renato Portaluppi revelou que Romário foi o jogador “mais incrível” que ele dirigiu em praticamente 20 anos de carreira como treinador.

A convivência ocorreu em 2005, no Vasco da Gama, quando o “Baixinho” já estava inclinado a parar de jogar. Renato contou que ele e o seu auxiliar, Alexandre Mendes, o convenceram a permanecer e, no fim, ele virou artilheiro do Brasileirão mesmo com 40 anos:

“Romário. Em 2005, que ele queria encerrar a carreira, mas a gente tirou ele do vestiário e eu e o Alexandre (auxiliar) transformamos ele no artilheiro do Brasileirão com 40 anos”, colocou.

Renato ou Cristiano Ronaldo?

Assim como já fez em várias outras entrevistas, Renato reafirmou que foi melhor jogador que Cristiano Ronaldo, astro da Juventus, da Itália, e da seleção de Portugal. Na argumentação, o treinador disse que gostaria de ver como o craque se sairia atuando nas dificuldades do futebol brasileiro, como salários atrasados:

“Eu joguei mais que ele. Sabe por que eu falo isso? Claro que ele é um jogador excepcional e é um dos três melhores do mundo atualmente. E eu falo pros meus jogadores o seguinte: eu queria ver ele jogando nos clubes que eu joguei no Brasil com quatro, cinco meses de salário atrasado, e eu jogando lá naquele Real Madrid com o salário dele”, colocou.

No único encontro entre eles, Cristiano Ronaldo levou a melhor ao fazer o gol de falta do título do Real Madrid no Mundial de 2017 sobre o Grêmio. Renato comanda o tricolor nesta terceira passagem desde setembro de 2016 e em fevereiro terá a chance de dar uma nova Copa do Brasil ao clube em final contra o Palmeiras.