Dono de clube espanhol, Ronaldo diz que está “observando” jovens de Palmeiras e Santos

Ex-atacante brasileiro é proprietário do Real Valladolid, do futebol espanhol, e está de olho na final entre Palmeiras e Santos, pela Libertadores

Rafael Brayan
Estudante de jornalismo. Colaborador especialista e editor-plantonista do Torcedores.Twitter: @rafaelbrayan_

Crédito: Manuel Queimadelos Alonso/Getty Images

O agora empresário Ronaldo Fenômeno afirmou que está observando jogadores de Palmeiras e Santos, finalista da Libertadores. Em entrevista coletiva promovida pela CONMEBOL na véspera da decisão sul-americana nesta sexta-feira (29), o dono do Real Valladolid ressaltou, entretanto, que não tem condições para contratar algumas das promessas das equipes paulistas.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Leia também: Neymar diz que não torce mais pelo Palmeiras e ressalta: “Sou Peixão”

“Estou observando, mas não tenho condição de comprar. Os clubes brasileiros já falam em euros. O Valladolid não pode. O Santos é o que melhor faz esse trabalho. Não é só o talento do jogador, é a cultura do clube”, afirmou Ronaldo, que comanda o time que briga para permanecer na primeira divisão do Campeonato Espanhol.

Na sequência, Ronaldo ressaltou que espera seguir os modelos de categorias de base de Palmeiras e Santos em seu clube na Espanha. “Eu quero isso para do Valladolid, conseguir fazer essa transição e ter treinadores corajosos para colocar esses meninos na arena junto com os leões. O trabalho do Santos é muito bom”, completou.

Também presentes na entrevista coletiva, o ex-lateral Léo e o ex-goleiro Marcos valorizaram os jovens garotos, como Kaio Jorge, Patrick de Paula, Gabriel Menino e Lucas Braga. “É o DNA do Santos. O time se remonta ano a ano assim, mostrando ao mundo a sua base, que é forte. Faz parte do clube revelar grandes atletas. Ganharam bagagem na competição, agora é o momento máximo. A gente fica feliz”, afirmou o santista, que venceu a Libertadores em 2011.

“O Santos é impressionante. Todo ano tem, os caras desmontam o time e depois aparecem mais. O Palmeiras vem mudando, investindo mais na base e está aí colhendo os frutos, com personalidade. Isso é bom para o futebol”, concluiu Marcos, que foi o goleiro titular e importante para o título do Palmeiras na Copa Libertadores de 1999.