Contrato da prefeitura de SP com a F1 pode render CPI; Vereadores falam em “transparência”

Contrato da prefeitura de SP com a F1 vai até 2025

Carlos Lemes Jr
Colaborador do Torcedores.com.Jornalista formado, desde 2012, e no Torcedores, desde 2015. Matérias exclusivas pelo site publicadas nos portais IG, MSN e UOL.

Crédito: Divulgação/GP Brasil

Uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) pode abalar o GP Brasil de F1. Tudo por que 19 vereadores da capital paulista pedem a investigação do acordo, assinado em novembro do ano passado, e válido até 2025. As informações estão no site Grande Prêmio. 

O pedido de abertura da CPI foi instaurado na última terça-feira, 2 de fevereiro, por proposta dos vereadores Rubinho Nunes, Fernando Holiday e Marlon Luz, todos do Patriota. A investigação é sobre  o porquê da  prefeitura ter assinado acordos milionários sem contrapartidas com a MC Brazil Motorsports, nova organizadora da etapa em Interlagos.

“A CPI é de suma importância para esclarecer os motivos desse contrato de R$ 100 milhões com Motorsport (sic) ter sido feito sem licitação e, não obstante, colocado sob sigilo. O povo paulistano tem o direito de saber onde e como seu dinheiro está sendo gasto pela prefeitura, é inadmissível que o Executivo fira tão profundamente a transparência com o cidadão.”, diz a assessoria do vereador Rubinho Neves em contato com o Torcedores.

Partidos como PT, PSOL, PSC, Novo, PSL, DEM, PL, PSB, PSD e Republicanos, também são signatários do pedido de CPI.

“Existem possíveis irregularidades nos contratos e em outros documentos que devem ser averiguados.”, se limitou a dizer o vereador Fernando Holiday, por e-mail, ao nosso site.

Segundo o requerimento, a prefeitura de Bruno Covas (PSDB) pagou à Fórmula 1 R$ 17.753.000, algo em torno de US$ 3,3 milhões, além da quantia de R$ 100 milhões, sem as contrapartidas.

Torcedores também entrou em contato com a organização do GP Brasil, mas a assessoria não começou seus trabalhos em 2021.

Entramos em contato, também, com a Secretaria Municipal de Turismo, responsável pelo contrato, mas não obtivemos resposta até o fechamento dessa matéria.

GP é alvo de disputa política

No governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o GP Brasil de F1 é alvo de uma disputa política: integrantes do Governo Federal eram entusiastas da construção de um Autódromo em Deodoro no Rio de Janeiro para receber a Fórmula 1. Depois de muitas idas e vindas, o projeto do circuito carioca foi engavetado pelo prefeito Eduardo Paes (DEM). A localização da possível pista fica em uma área de proteção ambiental, a floresta do camboatá.