“Quando perdíamos, alguém lá de dentro ficava feliz”, diz Domènec Torrent sobre saída do Flamengo

Em entrevista ao Globoesporte.com (GE), o ex-técnico do Flamengo Domènec Torrent, revelou detalhes de sua demissão no clube

Diego Lucio Castro de Oliveira
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/Twitter

Depois de altos e baixos na temporada, o Flamengo de Rogério Ceni se consolidou na briga pelo título do Brasileirão. Mas nem sempre foi assim. O ex-goleiro sofreu com as eliminações da Copa do Brasil e Libertadores e balançou no cargo mesmo com o pouco tempo de clube. E quem viveu essa pressão de perto, foi seu antecessor, Domènec Torrent. Alguns meses depois de sua demissão, o treinador espanhol revelou detalhes sobre sua saída do Rubro-Negro em entrevista exclusiva ao Globoesporte.com (GE).

Entre os trechos mais contundentes da conversa com o repórter André Hernan, Dome revelou que sentia pessoas dentro do Flamengo, felizes com as derrotas em campo.

“Quando perdíamos, alguém lá de dentro ficava feliz, era o que eu sentia. Minha equipe e eu tínhamos essa sensação. Então era muito complicado trabalhar assim.”

Relacionamento com jogadores e torcida

Domènec também citou que não teve briga com nenhum jogador e citou o apoio da torcida:

“Fui muito feliz trabalhando no Flamengo, por causa dos jogadores. Nenhum me decepcionou. Apesar do que a imprensa diz, nunca briguei com ninguém. Fui muito feliz com as pessoas nas ruas no dia a dia. Quando fomos dispensados, as pessoas que eu encontrava no supermercado, era eu que ia estava sozinho aí, em restaurantes ou quando passeava de bicicleta, todos me apoiavam, me incentivavam.”

Problemas internos

O ex-treinador do Flamengo continuou citando problemas internos, e disse que nenhum treinador resolveria esses problemas.

“Acho que o problema do Flamengo está dentro do Flamengo. […] Enquanto eles não esclarecerem as coisas entre si, isso vai continuar com Dome, com Ancelotti, com Klopp, com Pep Guardiola, com quem for. Esse é o grande problema do Flamengo, porque quando vemos um time com 125 anos de história, que tem a maior torcida do mundo, e só ganhou seis Brasileirões, três Copas e duas Libertadores, é porque tem algo acontecendo lá dentro. Quando vemos um clube que é o que mais trocou treinadores em todo o Brasileirão, é porque algo acontece lá dentro. Então foi isso que sentimos desde o primeiro dia, porque sabíamos que muita gente lá dentro não nos queria. Sabíamos. Acho que todo mundo que trabalha no Flamengo sabe o que acontece lá.”

Falta de apoio da diretoria

Domènec citou que não sentia apoio da diretoria do clube em momentos difíceis.

“A sensação que eu tinha desde o início, e comentava como a equipe, quando liderávamos havia várias rodadas, que, com a primeira partida que perdêssemos, estaríamos fora. Por quê? Pela sensação que eu tinha lá dentro. Nunca senti apoio de verdade. Os jogadores me apoiavam. Se quiser, podemos falar deles, das barbaridades que disseram, se estávamos zangados com um ou outro jogador, o que é mentira. Disseram muitas mentiras em dois meses.”

Confira a entrevista completa, clicando aqui!

Siga o autor no Twitter/Instagram
Confira outras notícias de futebol clicando aqui