Torcedores – Notícias Esportivas

Gatito diz que fica no Botafogo para Série B: “Quero fazer parte da reconstrução”

Goleiro, que desfalcou Glorioso por causa de lesão, garante que ficará no clube para a temporada

Victor Martins
Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.Antes trabalhei para a GG12 (empresa de prestação de serviços de conteúdo para sites), prestando serviços para sites como Federação Paulista de Futebol, Chico Lang, 10dofutebol, Milton Neves, Rádio Capital e outros,

Crédito: Divulgação/Twitter Oficial Botafogo

Uma lesão (edema ósseo) no joelho vem tirando Gatito Fernández das últimas partidas do Botafogo na temporada. Um desfalque bastante sentido durante a campanha que levou o Glorioso a mais um rebaixamento para a Série B em 2021.

E nem mesmo a queda para a Série B deve desmotivar o paraguaio numa possível permanência. Em entrevista ao Globoesporte.com, Gatito afirmou que não deve deixar o Fogão e que quer ajudar no processo para recolocar o Alvinegro de volta à Série A.

“Sim, eu fico no Botafogo. Meu contrato é até o fim deste ano. Falaram tantas coisas neste momento, que se o Botafogo caísse, eu sairia. Coisas que eu nunca cheguei a falar e não existem no meu contrato. As pessoas que estão dentro do clube sabem bem disso, porque meu pensamento está no clube. Meu comprometimento é com o clube desde 2017. Eu quero fazer parte da reconstrução”, disse o goleiro paraguaio.

A lesão que vem tirando o goleiro do Fogão dos gramados foi alvo de recente polêmica devido a declarações de Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente botafoguense, afirmando que o paraguaio teria sido ‘covarde’ ao não jogar por causa do problema no joelho, o que rendeu resposta do goleiro. Gatito falou sobre a lesão e disse nunca ter sido avisado sobre a gravidade dela.

“Não sabia da gravidade da minha lesão e nunca me explicaram. Disseram que a lesão não era grave, mas de muito cuidado. Tanto que fui para a seleção (paraguaia) e me senti bem. Me falaram no clube que tinha que ficar parado de 12 a 15 dias e eu já tinha feito isso. Fui para a seleção e voltei no aquecimento a sentir as dores. Tomei injeção no intervalo porque a dor havia ficado muito grande, como eu já tinha feito quando machuquei o punho em 2018. Pode ter sido erro meu ir para a seleção, mas não sabia da gravidade da lesão. Se soubesse da gravidade, não me arriscaria a jogar pela seleção”, declarou.

LEIA MAIS

Botafogo: Túlio credita demissão à ‘pressão externa’ no clube

(Crédito da foto : Divulgação/Twitter Oficial Botafogo)