Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Paulo Borrachinha revela ter bebido antes de derrota para Adesanya

Brasileiro disse ter tomado muito vinho na noite anterior da derrota no UFC 243

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Reprodução/Facebook UFC Brasil

Paulo Borrachinha lutará conta Robert Whittaker no próximo dia 17 pelo UFC. Mas a mais recente luta, a derrota para Israel Adesanya, não sai de sua cabeça. E apenas nos últimos dias o brasileiro decidiu explicar um motivo que pode ter afetado seu desempenho na luta.

Em seu canal no Youtube, o mineiro revelou que lutou contra o nigeriano sentindo efeitos de ‘ressaca’ por causa de alta quantidade de vinho tomada antes da luta. O brasileiro, que havia dito que gostava de beber para ter sono fácil, explicou que decidiu por beber por ter conseguido dormir na véspera do combate.

“Lutei meio que bêbado, estava de ressaca. Não conseguia dormir por causa das cãibras. As lutas lá (na ‘Ilha da Luta’) eram às 9h e a gente tinha que acordar às 5h para fazer alongamento, aquecimento e tudo. Até 2h30, eu não tinha conseguido dormir, isso é culpa minha. Precisava dormir, estava mais de 24 horas acordado e tomei muito vinho. Uma garrafa, para tentar ‘apagar’. Um copo não deu certo, dois também não e meia garrafa não adiantou. Aí, eu decidi virar, e foi uma sensação muito diferente. Em toda luta, eu entro ativo, ligado e com receio de ser golpeado. Mas nessa luta (contra Adesanya), eu estava sonolento, abrindo a boca, sem nenhuma preocupação. Nenhuma”, explicou Borrachinha.

Depois da derrota para o nigeriano, que o fez perder a chance de ser campeão dos médios do UFC, o brasileiro deu várias explicações afirmando que ‘algo teria acontecido‘ para influir na derrota. Para o mineiro, as condições com as quais se apresentou não permitiriam que a luta acontecesse do jeito que queria.

“Naquela luta com o Adesanya, eu estava 10% a 20% da minha capacidade. Tivemos que mudar a estratégia no vestiário. Hoje, a gente sabe que foi um erro, mas agora é fácil falar. O certo era não ter lutado até pelas condições que eu estava. Muita gente me perguntou porque eu estava diferente e eu estava assim porque minhas condições eram péssimas. Não dormir, time cãibra na perna o tempo todo. Mas eu sou muito confiante, queria lutar e pensei que daria para me apresentar assim”, comentou o brasileiro.

LEIA MAIS

UFC 261 deve ganhar disputa do cinturão do peso-palha, diz TV

Paulo Borrachinha volta ao UFC em abril contra Robert Whittaker

(Crédito da foto: Reprodução/Facebook UFC Brasil)