Piquet detona Hamilton e defende genro: “Na mesma equipe, Verstappen o esmagaria”

Brasileiro saiu em defesa do namorado da filha, que levou a pior no primeiro duelo da temporada, no Bahrein

Fernando Cesarotti
Jornalista, professor universitário e fã ardoroso de qualquer esporte. ,

Crédito: @F1/Twitter

Nelson Piquet nunca teve papas na língua, mas o início da temporada 2021 da Fórmula 1 o deixou mais empolgado. Depois de xingar a Globo durante a transmissão da Band, no domingo, o tricampeão usou uma entrevista à Autosport para criticar Lewis Hamilton, vencedor do GP do Bahrein, e sair em defesa do segundo colocado, Max Verstappen.

“É difícil uma comparação direta entre pilotos com carros diferentes, mas, se o Max estivesse na Mercedes, tenho certeza de que ele esmagaria Hamilton”, disse Piquet. Seguiu, porém, criticando o heptacampeão mundial. “Não é que ele não seja bom, mas ele tem um piloto bem inferior a seu lado. E o anterior era ainda pior.”

As duas declarações, contudo, têm lá sua explicação. O companheiro anterior de Hamilton, antes de Valteri Bottas, era Nico Rosberg, que se aposentou em 2016 depois de conquistar seu único título. E seu pai, Keke Rosberg, campeão em 1982, foi contemporâneo e desafeto de Nelson durante os tempos de piloto.

Outro motivo para as declarações de Piquet é familiar: Max Verstappen namora sua filha, Kelly, desde o ano passado. Eles até passaram férias recentemente no Brasil, nos Lençóis Maranhenses. “Max é mais agressivo e isso às vezes o leva a cometer erros, mas no geral [e um piloto melhor que Hamilton.”

Como a Williams dos anos 80

Piquet comparou a rotina de Hamilton na Mercedes ao lado de Bottas com sua passagem pela Williams entre 1986 e 1987 ao lado de Nigel Mansell – no segundo ano, ganhou seu terceiro título na F1 com duas corridas de antecedência.

“Eu já não guiava como antes, porque tive um acidente em Ímola e comecei a ter problemas de profundidade de campo, mas tive sorte e venci o campeonato facilmente. O carro era muito melhor, assim como a Mercedes foi muito melhor que o resto nos últimos anos”, disse. Depois do título, Piquet correu dois anos na Lotus e dois na Benetton antes de se aposentar.

Nelsinho Piquet também defendeu o cunhado, mas amenizou as críticas a Hamilton, de 36 anos. “Lewis está em sua 15ª temporada, e aos poucod você perde o desejo. Com sete títulos, o seu ‘fogo’ é diferente”, disse.

“Por outro lado, Max está com a faca nos dentes. Ele é como um lutador de MMA, pronto para enfrentar qualquer desafio. A experiência de Hamilton ajuda, mas a vontade de Max e sua agressividade são maiores”, concluiu Nelsinho.

LEIA MAIS:

Verstappen lamenta segundo lugar no Bahrein e pede melhor estratégia

Após final “horripilante”, Hamilton se diz pronto para temporada equilibrada