Confira qual time da Série A tem o maior jejum de títulos estaduais

Nos 16 anos do último título estadual do São Paulo, saiba qual time da Série A vive maior jejum

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Reprodução/Twitter Oficial São Paulo

Há 16 anos, o São Paulo não vence o Campeonato Paulista. Nesta data, 3 de abril de 2005, um empate por 0 a 0 com  Santos deu ao Tricolor o título estadual  de um jejum duradouro para o time do Morumbi. Mas não é o maior jejum de todos os da Série A.

O Site Goal postou em suas redes sociais os maiores jejuns de títulos estaduais entre os times que jogarão a Série A de 2021. E o maior deles pertence a um time paulista… mas não é o São e sim o Red Bull Bragantino, que não conquista o Paulistão há 31 anos, em 1990, quando levou para casa o seu único estadual na ‘final caipira’ contra o Novorizontino (antecessor do atual).

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

Dentre os times da elite do Brasileirão, o Tricolor é dono do terceiro maior jejum, ficando atrás do Juventude, que desde 1998, não conquistou a taça do Gauchão. Logo abaixo dos são-paulinos, um outro time tricolor, o Fluminense, cuja última conquista do Carioca foi em 2012.

Dos 20 times da Série A, nove conquistaram o estadual no ano de 2020: Palmeiras, Atlético-GO-, Atlético-MG, Grêmio, Bahia, Flamengo, Chapecoense, Athletico Paranaense e Fortaleza.

O último título Paulista do São Paulo

Em 2005, o Paulistão foi disputado em turno único e em pontos corridos. Ainda treinado por Emerson Leão (que deixaria o clube durante a temporada), o Tricolor fez uma grande campanha, na qual ficou 15 rodadas invicto. Foram apenas duas derrotas (para Portuguesa e Ponte Preta).

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

A equipe já tinha a base do time que seria campeão da Libertadores e Mundial no mesmo ano, já com Paulo Autuori no comando. O time são-paulino que entrou em campo naquela partida foi: Rogério Ceni, Fabão, Lugano e Edcarlos; Cicinho, Mineiro (Renan), Josué, Danilo (Marco Antônio) e Júnior; Grafite e Diego Tardelli (Luizão).
 

LEIA MAIS

Mercado da bola 2021: veja as 19 negociações concretizadas nesta semana