Ex-jogadoras da Seleção Brasileira de basquete pagaram funeral de companheira morta por coronavírus

Ex-jogadoras da Seleção pagaram o funeral da pivô Ruth

Carlos Lemes Jr
Colaborador do Torcedores.com.Jornalista formado, desde 2012, e no Torcedores, desde 2015. Matérias exclusivas pelo site publicadas nos portais IG, MSN e UOL.

Crédito: Divulgação

Mais uma vitima do coronavírus no Brasil, a ex-pivô Ruth faleceu na última terça-feira, 13 de março. O fato mexeu, mesmo, com suas ex-jogadoras da Seleção Feminina de Basquete.

Nascida e falecida em Três Lagoas/MS, o funeral de Ruth foi pago por suas ex-companheiras de Brasil.

“Primeiro fiquei triste, deprimida, porque fiquei sabendo que a Ruth seria enterrada em Três Lagoas numa vala comum. Não havia dinheiro em sua família modesta para pagar o funeral.”, contou a ex-técnica de Ruth, Maria Helena Cardoso ao jornalista Roberto Salim do site Ultrajano.

“Foi então que o grupo de jogadoras de várias épocas da Seleção se juntou em uma vaquinha e compramos um jazigo para a Ruth, que poderá ser usado até por sua família. Mandamos flores. E apesar de o país não ter mesmo memória esportiva, nós nos sentimos fortalecidas. (…) A turma da Seleção deu a ela o que ela merecia.”, finaliza a ex-treinadora.

Ruth estava internada com coronavírus, desde março em um hospital de Três Lagoas. Ela tinha 52 anos. Como jogadora, foi campeã Panamericana em 1991 no Pan de Havana. Além disso foi campeã mundial na Austrália em 94 com a geração de Hortência e Paula.

LEIA MAIS

Luto no basquete: morre Ruth de Souza, campeã mundial em 1994