Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Seria o fim da linha para David De Gea no Manchester United?

Com Dean Henderson tornando-se a primeira escolha de Ole Gunnar Solskjaer, goleiro espanhol tem seu futuro em dúvida

Lucas Sposito
Colaborador do Torcedores

Por muitos anos, o torcedor do Manchester United acostumou-se a ver o fim de temporada chegando acompanhado de diversos rumores sobre o futuro de David De Gea.

Em tempos em que o goleiro estava em alta e o clube longe da disputa por grandes títulos, era comum ver o espanhol especulado em outros clubes, especialmente de sua terra natal, que mostravam desejo em repatriá-lo.

Agora com outra janela de transferências se aproximando, a dúvida aparece novamente, mas numa situação completamente diferente. De Gea pode em breve estar de saída de Old Trafford, porém com a moral muito mais baixa.

A inconsistência do goleiro já dura alguns anos, e esse foi o principal motivo para que o Manchester United fizesse questão de que Dean Henderson estivesse no elenco para a atual temporada.

O jovem vinha de um excelente ano em empréstimo no Sheffield United, e seu retorno aos Red Devils foi um claro sinal de Ole Gunnar Solskjaer de que haveria uma competição pelo posto.

Henderson começou a temporada sendo pouco utilizado. Conseguiu uma sequência maior após o Manchester United cair na fase de grupos da Liga dos Campeões, sendo titular nos confrontos contra Real Sociedad e Milan na Liga Europa. Desde então, sua boa fase é indiscutível.

Nascimento da filha e perda de titularidade

As coisas então mudaram quando no início de Março, De Gea foi à Espanha para acompanhar o nascimento de sua primeira filha. O goleiro inglês tomou o posto de titular na Premier League, e desde então, esteve no time em todas as partidas do campeonato.

Ao retornar para a Inglaterra, De Gea viu do banco a vitória do Manchester United contra o Brighton. Depois retornou à equipe em jogo da Liga Europa contra o Granada, e voltou à reserva para a partida pela Premier League contra o Tottenham neste domingo.

Não poderia haver sinal mais claro de Ole Gunnar Solskjaer de que seu goleiro primário agora é Dean Henderson, que correspondeu as expectativas e fez bons jogos. A pergunta que fica é: O espanhol aceitaria ser banco na maior parte da temporada?

Vai ou fica?

Há duas questões que precisam ser levadas quanto a seu futuro. Em primeiro lugar, a decisão pessoal do goleiro. De Gea já esteve entre os melhores do mundo, e aos 30 anos, ainda tem muita lenha para queimar. Seria estranho ver um jogador de seu nível aceitando ficar no banco, até mesmo se pensarmos na disputa por um lugar na seleção de seu país.

Outro fator é que as especulações sobre seu futuro eram muitas vezes relacionadas a sua parceira, Edurne García, famosa cantora Espanhola, que influenciaria no retorno para sua terra natal. Agora com uma filha, não seria surpresa ver o casal deixar de lado o vai-e-vem entre Espanha e Inglaterra e finalmente se manter em um só lugar.

Pelo lado do clube, é óbvio que seria bom ter De Gea fazendo sombra a Henderson, tanto em termos técnicos quanto para passar mais experiência ao jogador de 24 anos. Porém, o goleiro da Fúria está entre os jogadores mais bem pagos da Premier League, e esse salário pode ser visto como um desperdício para um jogador que ficará no banco.

Não há dúvidas de que haverão sérias conversas entre jogador e técnico para definir o futuro do Espanhol. Fato é que há alguns anos, era difícil imaginar que De Gea poderia deixar o Manchester United dessa maneira.