Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Anderson Silva revela que não tem mais desejo de voltar ao MMA

‘Spider’ afirma que trajetória no octógono está encerrada; brasileiro luta em junho contra ex-campeão do boxe no México

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Divulgação/Facebook Oficial UFC

Anderson Silva não lutará mais MMA. O ex-campeão dos médios do UFC fez a revelação ao programa ‘The Ariel Helwani’s MMA Show’, dizendo que não tem mais vontade de tentar sua carreira no MMA.

Na entrevista, o ‘Spider’ revelou ter recusado convites de eventos de MMA asiáticos assim que encerrou sua trajetória no UFC, após a derrota para Uriah Hall em outubro passado. E que um dos motivos que o fez decidir por parar é o cansaço de uma longa carreira dedicada às artes marciais mistas.

“Logo depois de lutar com o Uriah, me ligaram de eventos do Japão para que eu lutasse lá. Todos os dias, muitos eventos, especialmente os da Ásia, me ligava. Mas não vou lutar MMA, porque é duro treinar para isso, ter camp em alto nível. Você só se machuca. Eu quero curtir, não preciso provar mais nada para ninguém. Não coloco pressão no meu corpo e na minha mente para lutar MMA novamente”, afirmou Anderson.

Em junho, Anderson Silva terá pela frente o ex-campeão de boxe Julio Cesar Chavez Jr numa luta na nobre arte, em Guadalajara (MEX), em sua primeira luta depois de deixar o UFC. Mas o’ Spider’ tem planos de também testar suas habilidades em outros esportes no futuro.

“Quero fazer um pouco de jiu-jítsu, com ou sem quimono. Não sei. Quero apreciar as artes marciais. Talvez, quando as pessoas me perguntarem sobre boxe, jiu-jítsu e outras lutas, eu poderei falar porque eu já terei lutado nelas e saberei o quão duro é treinar para cada uma delas. É importante respeitar o esporte”, afirmou.

LEIA MAIS

Santos encontra impasse em renovação de ‘herói’ de permanência no Paulistão