Botafogo começa a questionar permanência de Marcelo Chamusca no clube

Antes elogiado, treinador passou a ter seu futuro discutido entre dirigentes do Glorioso

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Divulgação/Twitter Oficial Botafogo

Marcelo Chamusca chegou ao Botafogo para tentar fazer um time que vinha de rebaixamento para a Série B do Brasileiro e com problemas financeiros conseguir mostrar futebol para tentar o retorno à Série A. Mas o que o tem sido demonstrado pelo clube até agora já faz os dirigentes alvinegros começaram a contestar o trabalho do treinador.

De acordo com o Globoesporte.com, até a última semana, o que se havia era que Chamusca tinha o respaldo dos dirigentes e que seu permanência no cargo não seria discutida. Mas a derrota do Glorioso para o Vasco na final da Taça Rio começa a mudar tal panorama e as dúvidas sobre se ele será o treinador para a Série B aumentaram fortemente.

A discussão sobre se haverá troca de treinador antes do começo da segunda divisão já é realidade nas conversas entre o futebol e a diretoria do Botafogo. E tudo o que foi mostrado pelo time até agora na temporada só coloca a permanência do comandante ainda mais em xeque.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

As eliminações do Campeonato Carioca ainda na primeira fase e da Copa do Brasil de forma precoce (na segunda fase, para o ABC), além do desempenho abaixo do esperado em muitas partidas depõem a favor de uma possível mudança de comando. Como apenas pode se trocar uma vez de técnico na Série B, a mudança teria que acontecer com antecedência para dar ao novo comandante tempo e até mesmo uma gama de resultados para avaliar seu trabalho.

Marcelo Chamusca teve um bom começo de trabalho e recebeu elogios e apoio de dirigentes. Mas as quedas no Carioca e na Copa do Brasil faz com que o treinador veja a pressão sobre si mesmo com a final da Taça Rio em disputa.  Mas outros fatores podem ajudar a manter o técnico em General Severiano: as condições financeiras do clube e decisões recentes feitas com a pressão de diretores e torcida para mudanças no banco de reservas, que não deram certo.

Por enquanto, Chamusca seguirá no comando do clube para a partida de volta da final da Taça Rio, diante do Vasco. Em caso de nova derrota, a pressão pode forçar a mudanças drásticas na comissão técnica.

LEIA MAIS

Botafogo negocia contratação de lateral-direito após aval de Marcelo Chamusca