Vice do Flamengo explica punição de Léo Pereira após casos de Hugo e Gabigol

Zagueiro foi visto em festa durante pandemia e foi punido pelo Flamengo. Porém, Gabigol e Hugo também furaram quarentena e não tiveram grandes punições

Rafael Brayan
Estudante de jornalismo. Colaborador especialista e editor-plantonista do Torcedores.

Crédito: Alexandre Vidal/Flamengo

O vice-presidente do Flamengo, Marcos Braz, justificou a punição ao Léo Pereira na última semana. O jogador foi visto em uma festa no Rio de Janeiro durante pandemia da Covid-19 e recebeu muitas críticas da torcida rubro-negra.

Marcos Braz fala sobre Renato Augusto e cutuca Jorge Jesus: “Não precisava ter renovado”

Porém, a diretoria do Flamengo recebeu algumas críticas por não terem punido o atacante Gabigol e o goleiro Hugo, que também foram flagrados em aglomerações nos últimos. Em entrevista ao Arena SBT, Marcos Braz justificou o motivo.

“O Léo estava no seu dia de folga, parece que saiu para um local para se divertir um pouco, mas o agravante foi o não comparecimento no outro dia para treinamento. A gente multou e tirou do jogo contra o Volta Redonda. O agravamento foi o não comparecimento a um treino, coisa que os outros dois atletas não fizeram”, disse Marcos Braz.

Marcos Braz valoriza Rogério Ceni

“O nome do Rogério sempre foi bem aceito no Flamengo. Era um nome que eu confiava. Entre os técnicos mais novos, era um que a gente acreditava que poderia ir bem no Flamengo. Em determinado momento, a gente teve que dar um apoio maior ao Rogério, mas ele é um grande técnico, trabalhador, correto. Eu acho que foi uma boa escolha”, comentou Marcos Braz.