Fórmula 1: Chefão da Red Bull ameaça Mercedes

Responsável pela equipe Red Bull de Fórmula 1 subiu o tom com Toto Wolff

Alexander Rodrigues
Colaborador do Torcedores

Crédito: Mark Thompson/ AFP / F1Mania

 

E está dada a largada para mais uma guerra de bastidores no mundo da Fórmula 1. Os protagonistas são as duas equipes que vêm se degladiando pelo lugar mais alto do pódio nessa temporada de 2021 da categoria de maior renome do automobilismo mundial.

Tudo começou quando Toto Wolff, chefe da Mercedes, questionou junto à FIA o fato de a asa traseira do RB16B se mover mais do que o permitido. A entidade também percebeu o fato e já está investigando, tanto que vai realizar mais testes a partir do Grande Prêmio da França.

Em entrevista ao  F1-insider.com, Helmut Marko se defendeu das alegações da equipe rival.

“Estamos mudando nossa asa para que passe nos novos testes exigidos pela FIA. Mas isso não funcionará até Baku. Não podemos fazer isso em termos de tempo, porque temos que ajustar toda a extremidade traseira do carro. Na Fórmula 1 é comum que a concorrência olhe de perto quando existe algo de especial no carro. Fizemos isso quando a Mercedes apareceu com o inovador sistema DAS, no ano passado. A FIA declarou o sistema ilegal, mas eles ainda puderam usá-lo até a última corrida. Nós aceitamos isso. Por que a Mercedes agora não aceita que a mesma coisa seja feita com nossa asa traseira?”

E para colocar fogo de vez na situação, Marko ainda ameaçou protestar contra a Mercedes.

“Esperamos que os testes para a asa dianteira também sejam mais apertados, isso é justo. Porque especialmente a asa dianteira da equipe de Toto Wolff tem que ser verificada. De qualquer forma, também há potencial para protesto.”

E o mandatário máximo da Red Bull ainda questionou a intenção de Toto Wolff.

“A Mercedes teria que protestar contra oito carros. Porque além de nós, Ferrari, Alfa Romeo e Alpine também seriam afetados. Você realmente quer fazer isso e causar um grande escândalo na F1? Acho que não.” – concluiu.

A Red Bull está em alta após Max Verstappen vencer o Grande Prêmio de Mônaco. Com isso, a equipe austríaca passou a liderar o mundial de pilotos e construtores.

Lewis Hamilton terá carro vitorioso leiloado

F1: figura histórica morre aos 81 anos