Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Bill Belichick está construindo um Patriots que ele nunca teve antes. Vai funcionar?

Treinador dos Patriots tem peças versáteis para trabalhar ao longo da próxima temporada

Lucas Silva
Jornalista | Fundador e editor-chefe do Saida Falsa | ADM no Athletic Club Brasil. Apaixonado pelo futebol americano desde 2008, sofro semanalmente com Corinthians, New Orleans Saints, Miami Heat e Edmonton Oilers.

Crédito: Bill Belichick, Head Coach dos Patriots. Técnico terá um grande projeto nas mãos em 2021 (Lucas Silva/Torcedores)

Depois de um 2020 muito abaixo, o New England Patriots tenta se reorganizar para melhorar em 2021, para não ficar para trás na AFC Leste.

A princípio, vimos uma equipe mais agressiva no mercado, trazendo nomes talentosos e que podem contribuir para o desempenho do time. Além disso, o time teve boas adições através do Draft, olhando para reposição de nomes e peças para o futuro.

Contudo, fica no ar a seguinte questão: todo esse projeto de Bill Belichick e dos Patriots vai funcionar?

*Nota: A opinião abaixo reflete a visão do autor, portanto, não reflete a opinião geral do Torcedores.

Primeiramente, antes de falar do time, quero falar sobre uma coisa importante: personnel da equipe.

O personnel, ou pacote, em português, é um termo técnico do jogo que ajuda a entender a quantidade de jogadores de cada posição que há em campo na NFL no lado ofensivo da franquia.

Em suma, o personnel é a quantidade de running backs (RB) e de tight ends (TE) em campo durante a jogada.

Logo, vamos trabalhar com o time titular abaixo, com um 22 personnel, ou seja, dois running backs e dois tight ends.

Ataque: Cam Newton; James White e Sony Michel; Nelson Agholor; Hunter Henry e Jonnu Smith; Trent Brown, Michael Onwenu, David Andrews, Shaq Mason e Isaiah Wynn.

Defesa: Deatrich Wise Jr., Lawrence Guy, Christian Barmore e Chase Winovich; Kyle Van Noy, Dont’a Hightower e Matthew Judon; Stephon Gilmore, Jalen Mills, Devin McCourty e Adrian Phillips.

Como vai ser o ataque dos Patriots?

Bill Belichick e Josh McDaniels terão armas para poder desenvolver o seu ataque.

Em primeiro lugar, a linha ofensiva é sólida e mantém a base de anos anteriores, com Shaq Mason, David Andrews e Isaiah Wynn.

A volta de Trent Brown ajuda a repor a saída de Marcus Cannon, que assinou com o Houston Texans. Brown, inclusive, esteve na última conquista dos Patriots em 2018.

Em segundo lugar, a volta de Cam Newton e as adições de Hunter Henry e Jonnu Smith são importantes.

O primeiro deve ser o titular e usado como “ponte” para que Mac Jones possa aprender e, futuramente, ser o nome da franquia. Newton teve bom início em 2020, mas entre lesões e problemas por conta da COVID, terminou 2020 em baixa.

O segundo dão o suporte para o jogo aéreo da equipe, que foi o terceiro pior da liga.

A falta de profundidade de nomes na posição de wide receiver ajuda a ter dois ótimos tight ends recebendo a bola. Tanto Henry como Smith podem ser alinhados como recebedores.

Por fim, os recebedores: tendo a noção de que os recebedores são o setor menos talentoso, vai ser interessante analisar quem pode ser mais explorado.

N’Keal Harry é o nome para ficar de olho, uma vez que não vem correspondendo desde que foi selecionado no Draft de 2019.

Nomes conhecidos no outro lado da bola

A defesa dos Patriots terá em seu elenco, nesta temporada, nomes conhecidos do torcedores de volta.

Pra começar, Kyle Van Noy e Dont’a Hightower voltam para o time. O primeiro atuou pelo Miami Dolphins em 2020.

Por outro lado, Hightower deu opt-out em 2020 por conta da pandemia do COVID-19.

Em suma, nomes de talento e de experiência ajudam os mais novos a se desenvolverem, como Josh Uche e Anfernee Jennings.

A secundária perdeu Jason McCourty na Free Agency, mas ganha um nome versátil em Jalen Mills. Mesmo que em baixa, Bill Belichick sabe como trabalhar e extrair o melhor de seus jogadores.

Além disso, a rotação de nomes nas posições mantém a eficiência, mas chamam a atenção para que possam subir de nível.

Por fim, a linha defensiva tem nomes com potencial. A chegada de Christian Barmore ajuda no interior da linha, que não possui muitas opções.

Pelo lado de fora, Chase Winovich e Deatrich Wise Jr. terão uma nova chance para se desenvolver. Ambos podem ser eficazes se aos poucos demonstrarem serviço.

VEJA TAMBÉM: