Após gestos racistas nas arquibancadas, torcedor do Manchester City é banido dos estádios por três anos

Anthony Burke foi punido após ter sido flagrado por câmeras televisivas fazendo gestos racistas para jogadores do United

Gabriel Neves
26 anos. Jornalista formado na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Passagens por Footstats e Placar Uol. Participante do podcast ''As Quatro Forças''.

Crédito: Reprodução Youtube

Em 2019 o torcedor Anthony Burke foi flagrado pelas câmeras de televisão fazendo gestos racistas para Fred, Martial e Lingard em uma partida do Manchester City contra o Manchester United.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

No mês de agosto do ano passado, Burke se declarou inocente à justiça, mas de acordo com o jornal ‘’Mirror’’, uma juíza do Tribunal de Tameside, na Grande Manchester, o declarou culpado por ofensa à ordem pública com agravamento racial.

Em uma cobrança de escanteio, Anthony Burke imitou um macaco na frente dos jogadores do United. Durante o julgamento, um funcionário do estádio testemunhou contra o torcedor, que negou ter feito gestos racistas e disse ter apenas xingado os jogadores.

Com a punição, Burke terá que pagar uma multa de 500 euros (R$ 3 mil), 250 euros (R$ 1,5) para os custos do processo e taxas. Em 2020, outro torcedor do City, Ian Baldry, de 58 anos, foi banido do estádio por cinco anos por usar termos racistas ao comemorar um gol de Sterling.

Houve também fato racista semelhante após uma partida entre Brighton e Chelsea, pelo Campeonato Inglês, por ofensas racistas e homofóbicas nas arquibancadas. No mesmo ano, três pessoas foram presas após uma partida entre Brighton e Chelsea, pelo Campeonato Inglês, por ofensas homofóbicas e racistas nas arquibancadas.

LEIA MAIS:

Ex-goleiro da Alemanha, Lehman dispara mensagens racistas no WhatsApp e é demitido pelo Hertha

Três torcedores são presos por ofensas homofóbicas e racistas em jogo do Chelsea no Campeonato Inglês