Eurocopa: Saiba como o nazismo destruiu o futebol austríaco

Conheça o Wunderteam da Áustria e o seu trágico fim

Gabriel Mineiro
Colaborador do Torcedores

Crédito: Instagram/OEFB_1904

Quem acompanha o futebol a pouco tempo e ainda não parou para pesquisar mais a fundo as origens do esporte, com certeza deve achar que o futebol austríaco se resume a uma comemoração efusiva ao vencer sua primeira partida de Eurocopa após 60 anos da competição. Bom, atualmente é basicamente assim mesmo. Porém, na década de 1930, no início do processo de profissionalização do futebol na europa central, a Áustria comandada por Hugo Meisl, era a maior referência de como o futebol deveria ser jogado. Esse time que ficou conhecido como Wunderteam (o time maravilha), poderia ter tido um caminho de muito mais sucesso, se não fosse a Segunda Guerra Mundial.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

O início 

Não podemos falar de Áustria, sem falar de Hugo Meisl. Ou melhor, não podemos falar de futebol, sem falar de Hugo Meisl. Brilhante treinador austríaco, que ao assumir o comando da seleção de seu país em 1919, tinha como objetivo não só construir um time campeão, mas também um time inovador. E assim foi feito, com foco no sistema 2-3-5, nos passes curtos e na movimentação, Meisl criou o sistema que viria a deixar o mundo boquiaberto. 

Para selecionar os jogadores que iriam colocar em prática as suas ideias, Meisl recorreu aos seus amigos jornalistas. Após diversas reuniões nos cafés da cidade 一algo que era bem comum entre os amantes de futebol do país一 com integrantes da imprensa austríaca, o treinador acatou o pedido de seus amigos e montou uma seleção com o que a Áustria tinha de melhor, com destaque para o centroavante, e maior jogador da história da Áustria, Matthias Sindelar.

À época o futebol britânico era considerado o mais correto do mundo. Não admitiam outra forma de jogar, se não com seus passes longos e seus “chuveirinhos” na área. Eram os maiores. Entretanto, esta supremacia britânica estava prestes a ser contestada. Em 16 de maio de 1931, a Escócia foi a Viena para realizar uma partida contra os austríacos, visando comprovar que o estilo britânico estava alguns passos à frente do resto do mundo. Mas a partida comprovou exatamente o contrário, que o futebol britânico já era ultrapassado, após uma derrota por 5×0 e uma mágica atuação de Sindelar, a Escócia presenciava o nascimento do Wunderteam. 

O meio

Além deste grande feito frente à Escócia, o futebol austríaco não parou de impressionar o mundo, ainda em 1931, em Berlim, convidados pela seleção alemã, os austríacos aplicaram uma goleada de 0x6 nos alemães, mais tarde, venceram por 8×2 os rivais húngaros. 

Após se consolidar como a maior seleção da europa central, faltava uma coisa para se consolidar mundialmente, vencer a maior potência do futebol mundial, a Inglaterra. Este embate de gerações ocorreu em 1932, onde após uma partida que entrou para a história pela qualidade de futebol apresentado pelas seleções, a Áustria saiu derrotada por 4×3. Mas a vitória era só questão de tempo, com o futebol se tornando cada vez mais dinâmico, o estilo inglês estava perdendo espaço e força, e essa vitória sobre a Áustria serviu apenas para mascarar o inevitável. Em 1936 viria a tão sonhada vitória austríaca, com o placar de 2×1 a Áustria finalmente se firmou como a maior potência do mundo.

 Durante uma década esse time encantou o mundo e mudou para sempre a forma de ver futebol. Muito se diz que faltou um título de expressão para coroar a linda história que Hugo Meisl escreveu com o Wunderteam 一mesmo em 1934 chegando como a favorita para conquistar a Copa do Mundo na Itália, a equipe sucumbiu perante arbitragens tendenciosas para o lado dos donos da casa. Mas visto o legado que esse time deixou, um troféu era só um detalhe supérfluo.

O trágico e precoce fim

Em 12 de março de 1938, a Alemanha de Hitler anexou a Áustria como território alemão, sendo assim, o país deixou de existir para se tornar uma mera província alemã, a Província Anschluss.

A anexação do território por parte da Alemanha decretou o fim dos prósperos encontros da classe judaica nos cafés de Viena, e também o fim do Wunderteam. Quatro ex-integrantes do Wunderteam aceitaram vestir a camisa da Alemanha na Copa do Mundo de 1938, o craque Matthias Sindelar se recusou, e 10 meses depois, foi encontrado morto em seu apartamento, vítima de envenenamento por monóxido de carbono.

Após declarar a independência da Alemanha em 27 de julho de 1955, o futebol na Áustria voltou a ter uma grande importância nacional. Mas nada comparado ao time de Hugo Meisl, que revolucionou o esporte.

 

LEIA MAIS

Eurocopa: você sabe por que a Espanha é chamada de La Furia?