Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

António Oliveira x Vojvoda: conheça as sensações desse começo do Brasileirão 2021

Os gringos adeptos do esquema de três zagueiros e que já tem história no futebol, conheça os treinadores dos rivais de sábado

Guilherme Lopes
Estudante de Jornalismo, apaixonado pelas estatísticas do bom jogo. Vivo e penso sobre futebol o dia todo.

Crédito: Reprodução: Leonardo Moreira/FEC

Nessa 9ª rodada do Brasileirão, teremos um confronto de g-4, Athletico e Fortaleza duelam no sábado (9). A princípio esse jogo vai além dos gramados, com dois treinadores “gringos” que se tornaram verdadeiras sensações nesse começo de campeonato.

Curiosamente, os dois técnicos se assemelham em alguns pontos, ambos começaram praticamente no mesmo ano, o argentino em 2016, e o português em 2017. Com poucos anos na profissão, ainda faltam títulos expressivos para os dois treinadores, apesar de um título cearense para Vojvoda.

Por outro lado, falando de estilo de jogo, são dois estrangeiros adeptos ao futebol moderno com três zagueiros. Além disso, ambos pregam por equilíbrio e entram para vencer. Conheça um pouco da trajetória dos dois treinadores.

António Oliveira

Seu pai, Toni, era jogador e ídolo no Benfica. Diferente do seu pai, na profissão, António que atuava como zagueiro, não teve uma carreira de muito sucesso passando por clubes pequenos do seu país. Como treinador, o Athletico é apenas seu segundo trabalho, anteriormente o português dirigiu o Kazma do Kuwait, vencendo o Torneio Federal.

Já pelo clube paranaense o estilo de jogo implantado foi rápido, alcançando a segunda melhor campanha da fase de grupos na Copa Sul-Americana, além de liderar o Campeonato Brasileiro por algumas rodadas. António Oliveira é primordialmente mais um adepto dos três zagueiros, seus laterais se tornam alas na hora de atacar, com um 9 fixo na cabeça de área. Os volantes, meias e pontas jogam de forma mais compacta, avançando as linhas com a bola.

Vojvoda

Diferente do português, o também ex-zagueiro teve uma carreira mais sólida no futebol, atuando por sete anos no New Old Boys. Apesar do pouco tempo como técnico, Vojvoda já acumula bons trabalhos, sobretudo no Defensa y Justiça e Talleres, no primeiro participou da montagem de elenco daquela equipe que ainda passaria nas mãos de Beccacece, até ser campeão da Sul-Americana com Hernán Crespo. No Talleres fez uma boa campanha, terminando na 5ª colocação do argentino e eliminando o gigante, São Paulo, na chamada “Pré-Libertadores”.

Em seguida, foi vice-campeão chileno pelo Union Calera, levando a equipe pela primeira vez a uma Libertadores. Eventualmente com bons trabalhos, assumiu o Fortaleza e se tornou uma sensação. Campeão cearense, o argentino costuma também utilizar três zagueiros, muitas vezes improvisando Tinga no setor. Vojvoda já utiliza um 3-4-1-2, com dois atacantes abertos na frente e um meia nas costas.

LEIA MAIS

Mercado da Bola: Fortaleza próximo de anunciar promessa argentina

Mercado da Bola: sete destaques da Copa Sul-Americana 2021 que cabem no seu time