Galvão critica demissão de Rogério Ceni na madrugada: “Renato não assinaria com ninguém”

Narrador e apresentador do SporTV, Galvão Bueno não entendeu a demissão na madrugada de sexta para sábado no Flamengo

Rafael Brayan
Estudante de jornalismo. Colaborador especialista e editor-plantonista do Torcedores.Twitter: @rafaelbrayan_

Crédito: Reprodução

Nesta segunda-feira (12), o narrador e apresentador Galvão Bueno criticou a demissão do técnico Rogério Ceni no Flamengo durante a madrugada de sexta para sábado. O profissional da Globo entende a saída do treinador, mas ressalta que Renato Gaúcho não assinaria com nenhuma outra equipe até a manhã seguinte ao anúncio da saída.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!


Leia mais: 

Róger Guedes, Paulinho e mais: Veja acordos que podem ser concretizados

VAR no Brasileirão: Veja os times mais “prejudicados” e “favorecidos”


“Já vinha sendo aguardada e esperada a saída do Rogério. Dizem que o relacionamento não estava bom, um áudio vaza, e a demissão acontece na madrugada. E na saída do Rogério Ceni (se dá) a vinda do Renato, que era Portaluppi lá no Grêmio e volta a ser Renato Gaúcho aqui. Assinou o contrato com cara de Renato Gaúcho: de bermuda, de chinelo, saindo da praia, sentado na mesa em frente ao bar com os dirigentes do Flamengo”, disse.

“Mas realizou um sonho. Disse na apresentação que está felicíssimo. E disse que teve a felicidade de dar uma volta olímpica como jogador ao lado do Zico. Ele disse que aqui no “Bem, Amigos” recentemente que o foco dele era a seleção brasileira. E hoje ele dizia que estar como técnico do Flamengo é a mesma coisa que estar técnico da seleção brasileira. Pela importância e sequência da carreira dele”, seguiu Galvão Bueno.

Comentarista do “Bem, Amigos”, Casagrande exaltou uma qualidade que pode garantir o sucesso de Renato Gaúcho no Flamengo. “Tem times em, que depois de um título e a saída de um treinador, é preciso você ter um treinador maior do que aqueles caras. E sabe a história daquele cara naquele clube e como treinador. Não estou falando que o Rogério é menor ou pior”, argumentou.

“Rogério quando chegou no Flamengo vinha do Fortaleza, tendo sido demitido pelo São Paulo antes. Não tinha (“a cara do Flamengo”, algo que Galvão disse sobre Rogério, e Casagrande concordou) e o tamanho dos jogadores. E o problema dele é relacionamento com jogadores. E isso é a maior virtude do Renato. O Renato se dá bem com jogador de futebol. Ninguém é mais esperto que o Renato”, completou.