Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Iraniano medalha de ouro no tiro esportivo é acusado de ser terrorista em seu país

Iraniano Javad Foroughi, de 41 anos de idade, foi campeão na prova de pistola de ar 10m em sua primeira participação em Jogos Olímpicos

Mário André Monteiro
Jornalista com passagens por Portal iG, Fox Sports e Osasco Audax. Atualmente editor do Alemanha FC (http://www.alemanhafc.com.br). No Twitter: @alemao_mario e no Instagram: @marioalemao

Crédito: Tokyo 2020 / Twitter

Logo no primeiro dia de competições oficiais dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, um medalhista de ouro chamou bastante atenção da mídia mundial.

Com 41 anos de idade e fazendo sua estreia em Olimpíadas, o iraniano Javad Foroughi superou os favoritos na prova de pistola de ar 10m do tiro esportivo e foi campeão.

E com direito a quebra de recorde olímpico, fazendo 244.8 pontos.

História mal contada?

Assim que subiu ao lugar mais alto do pódio, algumas informações e perfis sobre o atleta começaram a ser publicadas na imprensa especializada. Até com certa estranheza.

Javad Foroughi teria começado a treinar com pistola apenas em 2017, sendo que sua profissão era enfermeiro de um hospital em Ilão, província do Irã.

Mas a organização iraniana de direitos humanos, chamada de United for Navid, contestou essa história.

Em comunicado enviado ao jornal “The Jerusalem Post”, a entidade disse que “considera a medalha de ouro olímpica dada ao atirador iraniano Javad Foroughi uma catástrofe para o esporte iraniano e também para a comunidade internacional, e especialmente para a reputação do COI (Comitê Olímpico Internacional)”.

Ainda de acordo com a United for Navid, Foroughi há muito tempo é membro de uma organização terrorista chamada IRGC (Islamic Revolutionary Guard Corps). Ou, traduzindo, Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica.

Organização terrorista

A IRGC, segundo os iranianos, tem uma história de violência e assassinatos de manifestantes e pessoas inocentes dentro do próprio Irã, além de Síria, Iraque e Líbano.

A IRGC, inclusive, é listado pelos Estados Unidos como uma organização terrorista.

O campeão olímpico Javad Foroughi trabalhava, sim, como enfermeiro, mas em um hospital da IRGC, em Teerã. E foi com os terroristas que ele teria aprendido a atirar com tamanha precisão, a ponto de conseguir classificação para Tóquio 2020.

Lawdan Bazargan, ativista de direitos humanos no Irã e nos Estados Unidos, escreveu no Twitter que a IRGC é equivalente ao Partido Nazista de Adolf Hitler. Ela conta que chegou a ser presa em 1985 por membros da organização terrorista, quando tinha 16 anos de idade.

O fato é que Foroughi já voltou para casa com sua medalha de ouro, independente das acusações e relatos de que faz parte de um grupo terrorista iraniano.

E MAIS

Chinês fatura ouro no levantamento de peso usando uma técnica nunca vista antes

Jornalista ofende Bárbara, goleira do Brasil, durante programa de TV: “Uma porca com suéter”

Leticia Bufoni explica treta com Kelvin Hoefler e revela que medalhista bloqueou a confederação