Roger lamenta atuação do Fluminense em derrota para Grêmio: “Dia ruim”

Com pênalti no final da partida, Flu foi derrotado antes de confronto contra Cerro Porteño pela Libertadores

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

Roger Machado levou um Fluminense com vários reservas neste sábado (17) à noite para a partida contra o Grêmio, pelo Campeonato Brasileiro. E o Tricolor carioca acabou derrotado pelos gaúchos pelo placar de 1 a 0, com gol de pênalti nos minutos finais.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

O treinador do Flu lamentou o ‘dia ruim’ que sua equipe teve no Maracanã, especialmente por ver que as mudanças que fez na equipe antes da partida e as que fez durante não renderam o resultado que esperava para conseguir uma vitória em casa.

“Fiz as mudanças para tentar colocar um jogo de mais profundidade com o Matheus Martins por um lado e o Lucca do outro, para que também a gente tivesse as finalizações de média distância, pois seria difícil entrar pelo centro hoje. Coloquei o Cazares por trás da linha para que a gente tivesse o passe final com qualidade, continuando o que o Ganso fazia. Mas hoje não foi um dia que a gente conseguiu o que esperava”, afirmou Roger.

“Foi um jogo em que o Grêmio fez linha até com cinco ou seis jogadores no fundo do campo e a gente não terminava a jogada. Ou a gente tentava passe em profundidade ou a chance esbarrava num bloco mais defensivo, e aí o Grêmio contra-atacava. Sucumbimos no primeiro tempo porque tínhamos um adversário capaz de brecar nossas ações”, completou o comandante do Fluminense.

Perguntado sobre o pênalti de Calegari em Alisson, que acabou rendendo a derrota do Flu, Roger preferiu não criar polêmicas com a arbitragem e teve uma atitude até rara de treinadores de futebol no Brasil: aceitar a marcação sem dirigir reclamações quanto a validade do lance em si.

“Vi. Foi justo ali, no limite da área. Não sei se o Calegari conseguiu visualizar o Alisson chegando ali ou imaginou que poderia chegar antes dele. Circunstâncias do jogo, mas decisão do atleta. É um pênalti que poderia ser evitado, mas infelizmente não o foi. Não posso avaliar algo diferente disto”, comentou.

LEIA MAIS

Ainda sem renovar com o Fluminense, Nenê define prioridade para sequência da carreira