Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Marinho por David Braz, Arrascaeta e Kardec; relembre 7 escolhas polêmicas dos dirigentes brasileiros

Alguns negócios poderiam mudar totalmente o cenário do futebol nacional

Guilherme Lopes
Estudante de Jornalismo, apaixonado pelas estatísticas do bom jogo. Vivo e penso sobre futebol o dia todo.

Crédito: Alexandre Vidal/Flamengo

O mercado da bola sempre reserva grandes negócios ao longo do tempo, craques são contratados e fazem história por seus clubes. Por outro lado, nem sempre essas contratações são assertivas.

Aniversário CLUBE EXTRA

Clique e veja as melhores promoções!

Existem vários exemplos de trocas ou jogadores descartados que poderiam mudar a história de vários times brasileiros. Portanto, confira uma lista de escolhas “polêmicas” dos dirigentes brasileiros.

Marinho por David Braz

Uma das trocas mais peculiares da última década. É verdade que Marinho não estava bem no Grêmio, contudo, ainda era considerado um dos principais jogadores do futebol brasileiro. Enquanto David Braz, apesar de ser um bom zagueiro, também não era unanimidade no Santos. Marinho fechou com o peixe e ainda faz história no clube.

Arrascaeta e Kardec

Um dos melhores jogadores da América do Sul poderia reforçar o São Paulo, entretanto, o presidente Leco acabou recusando uma troca com o Cruzeiro que envolvia Alan Kardec e Arrascaeta. Melhor para os mineiros, que viu o uruguaio ser peça fundamental no bi da Copa do Brasil. Kardec é um bom atacante, mas não conseguiu uma grande passagem no tricolor.

Léo Santos e Arana

Mais uma troca muito polêmica que não ocorreu. O Sevilla propôs uma troca enviando Guilherme Arana por Léo Santos, Andrés Sanches recusou, confiando no potencial do jovem. Hoje aos 22 anos, Léo que também joga como zagueiro, é a terceira opção no Corinthians, alternando entre os aspirantes e sub-20. Simultaneamente, Arana é um dos melhores laterais do Brasil.

Germán Cano oferecido ao Grêmio e São Paulo

São vários os negócios questionáveis dos dirigentes tricolores. Precisando de um 9 atualmente, o São Paulo poderia contar com os serviços de Germán Cano, praticamente de graça, pagando apenas luvas. Ainda foi oferecido ao Grêmio que também recusou. Logo depois o Vasco contratou o artilheiro.

Falcão Garcia descartado

Em 2008, o Cruzeiro poderia contar com simplesmente um dos melhores centroavantes da última década, mas o presidente Alvimar Perella descartou o atleta do River Plate por considerar “lento” demais. No mesmo ano, o Santos também recusou o colombiano para fechar com a promessa Mariano Trípodi.

Patito Rodriguez ou Dybala?

Se aquele time do Santos com Neymar, Ganso, Elano e cia já era bom, poderia ficar melhor. Dybala chegou a ser oferecido aos dirigentes do peixe em 2011, que recusaram o atleta por atuar na segunda divisão da Argentina. Pouco tempo depois, o meia-atacante foi vendido ao Palermo onde fez história.

James Rodríguez vetado por ser “gordo”

Aquele Palmeiras que perdeu o título brasileiro de 2009 na reta final, poderia ter revertido a situação com um futuro craque na equipe. Ainda atuando na Colômbia mas já demonstrando um potencial enorme, o colombiano acabou oferecido ao alviverde. O negócio não ocorreu porque os dirigentes consideram que o jogador estava “gordo”.

LEIA MAIS

7 jogadores da base do Santos para ficar de olho

Com Pablo estreando na lista, veja os jogadores da Série A que mais balançaram as redes na temporada

As melhores notícias de esportes, direto para você