Home Futebol Pressionado, técnico do Remo comenta queda e ansiedade por permanência na Série B

Pressionado, técnico do Remo comenta queda e ansiedade por permanência na Série B

Clube azulino venceu um jogo nas últimas oito rodadas do torneio nacional sob o comando de Felipe Conceição

Octávio Almeida Jr
Jornalista graduado pela Universidade da Amazônia (UNAMA), 29 anos. Repórter de campo pela Rádio Unama FM em duas finais de Campeonato Paraense (anos 2016 e 2017). Repórter no site Torcedores.com desde 2018.
Felipe Conceição, treinador do Remo

Felipe Conceição, treinador do Remo

PUBLICIDADE

O Remo perdeu por 2 a 0 para o CSA e caiu para o 12° lugar, na tabela do Brasileirão Série B. O resultado quase custou a permanência do técnico Felipe Conceição, no clube azulino. A tradicional entrevista pós-jogo com o profissional demorou para ser realizada.

A assessoria de comunicação do Mais Querido disponibilizou as explicações do treinador apenas durante a madrugada, às 2h30.

“A gente entende a torcida. Todos nós estamos impacientes por essa pontuação final que nos dá a permanência na Série B. É continuar trabalhando”, iniciou Felipe Conceição.

PUBLICIDADE

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

“É lógico que bate uma angústia, conforme vai passando o tempo e esses pontos não acontecem. Isso é natural. A gente também sente, fica nessa ansiedade de atingir logo o objetivo”, acrescentou.

Avaliação do jogo

Sobre o jogo, Conceição avaliou que o Remo tomou os gols, quando era melhor que o CSA. Além disso, observou que o time está sofrendo por conta das várias lesões que acumulou no torneio.

O Leão até começou bem sob a liderança do treinador. Acumulou vitórias e chegou a ficar perto do G4. Entretanto, o cenário mudou e, hoje, o time venceu apenas um jogo das últimas oito rodadas.

PUBLICIDADE

“Nós perdemos muitos atletas há cerca de dois meses. E mesmo trocando, tendo alguns resultados, isso a médio e longo prazo está nos pesando muito”, explicou Conceição.

“Os atletas sentem o desgaste por terem de participar muito das partidas. Outros ainda não estão prontos e adaptados pra sustentar um jogo de esse nível. A gente está com essa dificuldade”, prosseguiu.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

“E não é só a lesão: o atleta tem que voltar, ganhar ritmo de treino primeiro, depois de jogo. Então a gente tem tido paciência pra não perder o atleta novamente”, finalizou o técnico do Remo.

PUBLICIDADE

Leia a seguir outros assuntos da entrevista pós-jogo de Felipe Conceição, treinador do Remo:

Manutenção de Arthur no time titular

“Com a perda do Erick (Flores) e a não adaptação de alguns outros atletas no setor, hoje a gente tem pouca opção pro lugar do Arthur”.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

“Ele é um atleta que, taticamente, principalmente na questão defensiva, cumpre. No jogo ofensivo, é um atleta que não está num bom momento. Mas a gente acredita que possa retornar”.

Retorno de Pingo

“É um atleta que, aí sim, tem uma característica muito parecida com o que a gente usa naquela função. Jogou o tempo que aguentaria por estar retornando”.

PUBLICIDADE

Reta final de campeonato

“É uma reta final que a gente não desejaria estar lutando ainda, desejaria estar mais tranquilo. Mas também nós entendemos o contexto que estamos passando, principalmente em relação à contusão, diminuição de poder do elenco que a gente tinha e ainda nos falta, sendo amenizada agora pro próximo jogo”.

Assista à entrevista pós-jogo de Felipe Conceição, treinador do Remo:

Leia também:

Após morte de Marília Mendonça, cantora recebe homenagem em jogo da Série B

Copa Verde: CBF oficializa novidade na competição

PUBLICIDADE

Copa Verde: goleada do Remo sobre o Galvez é a maior da história da competição; veja o ranking

Série B: jogador diverge de clube após racismo sofrido por colega de time

Em transmissão da Série B, afiliada da TV Globo erra e áudio vazado decreta: “foi gol, pô”