Torcedores – Notícias Esportivas

Alvos de clubes brasileiros, Pedrinho e David Neres tomam decisão

Jogadores se tornaram alvos de vários clubes do Brasil nos últimos meses

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016. Radialista na Paiquerê 91,7.

Crédito: Divulgação / Shakhtar Donetsk

Os jovens atacantes David Neres e Pedrinho, do Shakhtar Donetsk, tomaram decisão sobre o futuro, segundo publicação do Globoesporte.com. Eles não fecharam com nenhum clube até o último dia 7 de abril, prazo que a FIFA deu para que os jogadores ligados a clubes ucranianos encontrassem uma nova equipe, e portanto seguirão sem atuar ao menos até junho, quando se iniciam as novas negociações após o fim da temporada europeia.

Eles não seguiram os passos de outros companheiros de time, como Júnior Moraes e Maycon, que acertaram com o Corinthians, e Vitão, que foi para o Internacional, por exemplo. Pedrinho tinha sondagens de Corinthians e Botafogo, e chegou até mesmo a conversar com Rogério Ceni sobre uma suposta chegada ao São Paulo. O atleta, porém, quis esperar. David Neres também foi alvo do Tricolor, chegou a ser sondado pelo Corinthans, e acabou monitorado pelo Flamengo, mas também preferiu ficar sem um acerto para 2022. Eles devem voltar às negociações em junho.

David Neres foi revelado no São Paulo

O atacante de 25 anos foi revelado pelo São Paulo e estreou no profissional em 2016, tendo disputado oito jogos e marcado três gols. Ele saiu do clube no mesmo ano para defender o Ajax e logo passou a se destacar. Entre 2017 e 2019 foi um dos principais jogadores do elenco, mas acabou vendo seu espaço diminuir com a ascensão de Antony, outro revelado no São Paulo. Em 2021 foi vendido ao Shakhtar Donetsk, mas sequer chegou a jogar, já que fugiu ao Brasil em meio à guerra.

Pedrinho foi revelado pelo Corinthians

O meia-atacante de 23 anos foi revelado nas divisões de base do Corinthians e estrou na equipe principal em 2017, quando fez parte da campanha do título brasileiro do mesmo ano. O jogador assumiu a camisa 10 do clube em 2020, mas poucos meses depois acabou negociado com o Benfica. Após passar uma temporada com a camisa do clube português, foi vendido ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, onde vinha se destacando, mas voltou ao Brasil em meio à guerra no país.