Torcedores – Notícias Esportivas

Após ser alvo de ameaças, Gil, do Corinthians, toma atitude nas redes sociais

Zagueiro do Corinthians foi citado em áudio enviado à esposa de Cássio

Eder Bahúte
Jornalista e assessor de imprensa.

Crédito: Divulgacao/Corinthians

Além do goleiro Cássio e de sua esposa, que foram alvos de ameaças de morte nesta quinta-feira nas redes sociais, o zagueiro Gil também foi citado em áudios divulgados pelo ge.com. Incomodado com a forma agressiva que tem sido tratado, o jogador tomou um atitude.

Em sua conta oficial, no Instagram, Gil arquivou fotos com a camisa do Corinthians. A princípio, manteve apenas uma que remete ao seu gol contra o Guarani, nas semifinais do Campeonato Paulista.

Na manhã de hoje, Gil e outros líderes do elenco participaram de uma conversa com a Gaviões da Fiel, organizada que esteve presente no CT Joaquim Grava. Em áudio enviado ao personal trainer da esposa de Cássio, o defensor também é ameaçado.

– O recado vale para todos, você entendeu, filhão? Pode repassar que do Gil nós tá quase encontrando, o do Gil está quase no pente. Tá bom, filhão? Relaxa. Mas o principal é desse vagabundo aí do Cássio, tá bom? Então fique em paz, nada contra você, contra a sua pessoa, mas a caminhada é essa. Nós é tudo pelo Corinthians – disse o autor das ameaças.

Corinthians publica nota de repúdio após ameaças

Em comunicado feito no site oficial, o Corinthians repudiou os atos praticados contra Cássio, sua família, e Gil.

“O clube já acionou a Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (DRADE) a fim de tomar as medidas cabíveis para a segurança dos atletas. Esperamos que as autoridades consigam identificar o autor desse crime e que ele seja submetido às penas da lei. Rejeitamos a imagem que associa o Corinthians a uma arma de fogo e munição: como clube, nossa missão é de paz, respeito e igualdade, na vitória e na derrota. O atleta de futebol é um ser humano que tem direito tanto à integridade física quando à saúde psicológica. Pedimos aos torcedores que se conscientizem a respeito da necessidade de paz no futebol, respeitem a pessoa do jogador e sua família e repudiem conosco qualquer iniciativa que tente transformar o futebol numa atividade em que a violência é tolerável”, escreveu o Corinthians.