Torcedores – Notícias Esportivas

Campeã mundial de boxe diz que enfrenta muito preconceito: “Bonita demais para lutar”

Ebanie Bridges começou a lutar profissionalmente em 2019 e já conquistou o cobiçado cinturão da IBF

Mário André Monteiro
Jornalista com passagens por Portal iG, Fox Sports e Osasco Audax. Atualmente editor do Alemanha FC (http://www.alemanhafc.com.br). No Twitter: @alemao_mario e no Instagram: @marioalemao

Crédito: IBF / Divulgação

A boxeadora australiana Ebanie Bridges, de 35 anos de idade, foi campeã mundial do peso-galo da IBF (Federação Internacional de Boxe) no último mês de março, em Leeds, na Inglaterra. Ela derrotou a então detentora do cinturão, a argentina Maria Cecilia Roman, por unanimidade nos pontos.

Em 9 lutas na carreira profissional, a pugilista tem 8 vitórias, sendo três delas por nocaute, e apenas uma derrota. Mesmo com um retrospecto positivo, Bridges disse que sofre preconceito dentro do esporte e não é levada a sério.

“Desde que me tornei profissional, luto contra preconceitos e clichês”, disse a campeã mundial em entrevista ao podcast “Fight Night”.

E ela explicou quais são os preconceitos: “Mesmo após eu ganhar o cinturão, as pessoas não sabiam que eu lutava boxe. Elas sempre dizem: ‘O que, você luta boxe? Você é bonita demais para lutar’. Sempre existirão preconceitos, é assim que a sociedade tem sido por muitos e muitos anos, mas espero que isso comece a mudar”, comentou a atleta.

“Felizmente, na minha última luta, derrotei a campeã mais antiga da minha categoria. Isso prova que você pode se parecer comigo, ser uma mulher e ainda lutar Nós mostramos que lutamos. Lutamos muito e entretemos os fãs de boxe. Talvez não como homens, porque somos mulheres, mas somos boxeadoras como os homens”, completou Ebanie Bridges.

A australiana começou a lutar profissionalmente de forma tardia, em 2019, quando já estava com 32 anos de idade. Mesmo assim, conseguiu conquistar o cinturão da IBF, principal organização do pugilismo mundial.