Home Futebol Casagrande não perdoa e detona time do Brasileirão 2023: “Teve soberba”

Casagrande não perdoa e detona time do Brasileirão 2023: “Teve soberba”

Comentarista avalia o desenrolar final da Série A e sugere fatores que podem ter definido derrocada de equipe

Eder Bahúte
Jornalista diplomado. Apaixonado por radiojornalismo e esportes em geral. Especialista em nada, mas dá pitaco em tudo. Leitura de biografias, games e séries. Contato: [email protected]
Imagem de Casagrande repercutindo a queda do Botafogo no Brasileirão

Divulgacao/Globo

PUBLICIDADE

Após um equilíbrio poucas vezes visto, o Brasileirão 2023 chegou ao fim com o Palmeiras campeão pela 12ª vez em sua história. Entretanto, o time paulista não liderou a corrida pelo título durante o campeonato, mas sim na parte final. Antes de assumir a ponta, o Verdão corria atrás de um Botafogo que chegou a abrir 14 pontos de diferença, mas que sucumbiu na reta decisiva e sequer conseguiu o G-4. Sem papas na língua, Casagrande aponta questões que podem ter alterado a rota.

“Chegou a hora de analisarmos o que aconteceu com o Botafogo. Depois do primeiro turno que fez, ganhando todas as partidas no seu estádio Nilton Santos, voltou para o segundo turno e fez uma campanha catastrófica jamais vista. nunca vimos o que aconteceu no primeiro e no segundo turno do Botafogo nesse Campeonato Brasileiro”, inicia Casão, em coluna publicada no UOL Esporte.

Para muitos, inclusive o ex-comentarista da Globo, acreditava que o título ficaria mesmo com o clube da Estrela Solitária. Sob o comando de Luís Castro, o Fogão era consistente, sobretudo atuando em seus domínios e dava toda pinta que não perderia o primeiro lugar. Casagrande acredita que a situação começou a degringolar justamente com a saída do treinador.

PUBLICIDADE

“Ele tinha o controle total do seu time com conhecimento por inteiro, até onde cada jogador podia chegar, além do seu profundo entendimento tático para montar uma equipe”.

De forma interina, Caçapa comandava o Botafogo enquanto John Textor corria atrás de um novo técnico. Bruno Lage, porém, não obteve êxito e resultados ruins, além de decisões equivocadas na equipe geraram sua saída.

“Nesse meio tempo, os jogadores se uniram e foram falar com a direção para dizer que o elenco desejava ter o Lúcio Flávio como treinador. Me lembro que num programa do UOL falei que era bem interessante esse movimento, mas que era uma grande responsabilidade e que depois dessa atitude teriam que bancar em campo a escolha que fizeram”, recorda Casagrande.

Casagrande aponta soberba do Botafogo no Brasileirão

Em campo, os jogadores não corresponderam e o final desta historia todo mundo já sabe. Casagrande tenta justificar em sua análise o que determinou a queda do Botafogo.

PUBLICIDADE

“Um deles foi a soberba que dominou a cabeça de boa parte do elenco. Se formos analisar como terminou o campeonato, fica claro que, ao invés de ter tomado a virada do Palmeiras e do Grêmio, tivesse empatado e vencido só uma partida, teria sido campeão brasileiro mesmo com o péssimo segundo turno que fez”, avalia.

“Perderam o foco e talvez tenham achado que o título chegaria naturalmente e não se importaram profundamente quando começaram a perder. Quando veio o medo protetivo, já era tarde demais”, concluiu o ex-jogador.

Com 64 pontos, o Botafogo terminou o Brasileirão em quinto lugar. Com este resultado, ficou de fora, inclusive, da fase de grupos da Libertadores. No início de 2024, passará pela fase prévia da competição continental.