Home Futebol Casagrande sugere nome para o lugar de Ramon na seleção brasileira

Casagrande sugere nome para o lugar de Ramon na seleção brasileira

Comentarista considera outro perfil de técnico para comandar as categorias de base do Brasil

Eder Bahúte
Jornalista diplomado. Apaixonado por radiojornalismo e esportes em geral. Especialista em nada, mas dá pitaco em tudo. Leitura de biografias, games e séries. Contato: [email protected]
Casagrande sugere técnico para o lugar de Ramon na seleção

Ramon Menezes durante pré-Olímpico com a seleção - Divulgação / CBF

PUBLICIDADE

Apontado como principal responsável pelo fracasso da seleção brasileira no pré-Olímpico, ficando assim fora das Olimpíadas de Paris, Ramon Menezes não deve seguir no cargo. Derrotada até mesmo pela Venezuela, a equipe canarinho teve uma participação ruim no torneio e acabou pagando caro por isso. No UOL Esporte, Walter Casagrande tem como ideia que estes garotos necessitam de um treinador com mais bagagem, que possa passar experiências vividas no mundo da bola.

Como sugestão, o comentarista sugeriu o nome de Muricy Ramalho. Atual coordenador técnico do São Paulo, o profissional não desempenha mais a função desde que passou por problemas de saúde devido ao estresse.

“Sempre achei que as seleções de base mais próximas da principal deveriam ser treinadas por treinadores experientes, rodados e acostumados a diversas situações no futebol. Muricy Ramalho seria um ótimo treinador de base pela sua personalidade, conhecimento de futebol e, o mais importante, ajudaria essa garotada a aprender o que é comprometimento”, opina Casagrande.

PUBLICIDADE

“Ramon Menezes não havia feito nenhum grande trabalho para ganhar esse cargo. Gosto do Ramon como pessoa e sempre tive a esperança de que ele pudesse ser uma novidade positiva de treinadores no Brasil, mas não mostrou nada diferente”, acrescentou.

Assim como nas categorias inferiores, a seleção brasileira principal só acumula fracassos desde a Copa do Mundo de 2022. Atualmente, é a sexta colocada nas Eliminatórias com apenas duas vitórias em sete jogos disputados. Fernando Diniz, até então interino de Carlo Ancelotti, foi demitido com o ‘não’ do italiano e substituído por Dorival Júnior.

“A CBF é uma bagunça generalizada, cheia de decisões erradas, péssimas escolhas, falta de competência e experiência. Ou seja, corremos um risco enorme de conseguirem mais uma façanha negativa, que seria fazer a seleção principal disputar a repescagem para ir à Copa”, alerta Casão.

Casagrande aponta camisa 9 ideal para a seleção brasileira

A posição de centroavante ainda é um grande ponto de interrogação na seleção brasileira. Depois de ter grandes nomes como Ronaldo, Adriano, Romário, entre outros, hoje o setor parece cada vez mais escasso de boas alternativas. Como sugestão, Casagrande opta por uma sequência para Endrick, do Palmeiras.

PUBLICIDADE

“O Endrick acho que merece ser titular, mas não temos tantos jogadores assim para bater de frente com seleções mais experientes, mais trabalhadas, com um time mais organizado e um treinador respeitado.”, opinou.