Home Futebol Mauro Cezar aponta lado positivo do vexame da seleção brasileira no pré-olímpico

Mauro Cezar aponta lado positivo do vexame da seleção brasileira no pré-olímpico

Comentarista teceu duras críticas ao comandante técnico Ramon Menezes depois do escrete canarinho sucumbir diante da Argentina

Cido Vieira
Jornalista graduado no Centro Universitário Uninter. Trabalho no Torcedores.com desde 2017, desempenhando a função de redator. Sou setorista do futebol pernambucano em rádios locais e um verdadeiro apaixonado pelo esporte bretão.
Mauro Cezar aponta lado positivo do vexame seleção brasileira

Andrey Santos disputa bola com Barco (Divulgação - Joilson Marconne)

PUBLICIDADE

Depois de 20 anos, a seleção brasileira ficará de fora dos Jogos Olímpicos. Precisando de apenas um empate contra a Argentina, neste domingo (11), o time comandado por Ramon Menezes foi derrotado por 1 a 0, e viu o sonho de ir à Paris ficar pelo caminho. Em texto publicado na coluna do UOL Esporte, o jornalista Mauro Cezar Pereira subiu o tom pela atuação da amarelinha e classificou que foi melhor o vexame não ter ocorrido na disputa das Olimpíadas.

Apesar de classificar a geração como promissora, Mauro Cezar apontou o comando técnico como um dos responsáveis pela derrocada no sul-americano diante da Albiceleste.

“Que time ruim. Mal treinado. Inofensivo. Covarde. A seleção brasileira eliminada das Olimpíadas foi algo medonho no torneio disputado na Venezuela. Um negócio constrangedor. Ficar fora dos Jogos de Paris será um favor ao futebol brasileiro”, iniciou Mauro Cezar.

PUBLICIDADE

“A derrota para a Argentina por 1 a 0, gol de Luciano Gondou, centroavante do Argentinos Juniors, foi uma obviedade. O Brasil se agarrava pateticamente ao empate sem gols e levou o castigo. Merecido. Oito meses antes da ridícula campanha no pré-olímpico, a seleção treinada por Ramon foi eliminada do Mundial Sub- 20 ao perder para Israel. Um papelão. Sempre com bons jogadores à disposição”, complementou o comentarista.

Criticado por Mauro Cezar, Ramon Menezes tem futuro incerto

Responsável por comandar a seleção principal nos primeiros duelos após a eliminação na Copa do Catar, Ramon Menezes não conseguiu ostentar um bom trabalho quando efetivado na função de treinador do escrete de base. Diante do adeus ao sonho de disputar Paris 2024, o profissional ainda terá o futuro definido por Branco, coordenador técnico da base, e o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues.