Home Futebol Silas não condena o Flamengo e vê mais dois times balados sem empolgar em campo

Silas não condena o Flamengo e vê mais dois times balados sem empolgar em campo

Comentarista atrelou desempenho do Rubro-Negro ao nível de dificuldade no início do Carioca

Bruno Romão
26 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: [email protected]
Silas fez alerta sobre desempenho do Flamengo em 2024.

Flamengo, em jogo contra o Volta Redonda no Maracanã (Gilvan de Souza - CRF)

PUBLICIDADE

Em debate no programa Resenha da Rodada, da ESPN, André Plihal lançou uma provocação envolvendo o Flamengo. Mesmo com um elenco repleto de estrelas, a equipe de Tite ainda não encantou no Carioca e segue buscando o melhor entrosamento. Diante disso, Fábio Luciano, ex-capitão do Rubro-Negro, admitiu que o desempenho em campo ainda está longe do ideal.

“O assunto ‘gramado do Maracanã ruim’ é recorrente, e o assunto ‘o Flamengo não joga o que pode’, igualmente. Você espera, espera, espera, e não vem.”, iniciou André Plihal.

“O elenco é muito qualificado. Em um momento a gente acha que esse time vai fluir e o Tite vai conseguir arrumar o time. Por enquanto, isso ainda não chegou.”, completou Fábio Luciano.

PUBLICIDADE

Na sequência, Silas não quis condenar as atuações do Flamengo. Isso porque o mesmo cenário está sendo visto com o Atlético-MG, em Minas Gerais, e Internacional, no Rio Grande do Sul, já que os estaduais costumam apresentar um grande nível de dificuldade pelo retorno das férias e adversários em vantagem por conta da preparação antecipada.

“Isso não tá acontecendo como Inter, em Porto Alegre, e com o Atlético-MG? São times com várias estrelas contra times com sangue no olho e treinando desde novembro.”, alertou Silas.

Recado de Fábio Luciano após análise de Silas

Logo depois, Fábio Luciano não quis concordar com uma analogia feita por Mano, na CNN. Cornetando o estilo de Tite, o comentarista enxerga que o técnico precisa arriscar mais no Flamengo, mas o ex-jogador considera que o equilíbrio será a grande prioridade no trabalho à frente do time carioca.

“O Mano fez uma analogia no programa do Benja, na CNN: ‘O Tite é um motorista que compra uma Ferrari, mas não gosta de acelerar’.”, contou Plihal.

PUBLICIDADE

“O Tite tem uma forma de trabalhar, ele preza pelo equilíbrio. Esse é o dedo do Tite.”, acrescentou Fábio Luciano.