Home Futebol Vampeta reprova “sumiço” de meias e cita camisa 10 que pode brilhar no futebol brasileiro 

Vampeta reprova “sumiço” de meias e cita camisa 10 que pode brilhar no futebol brasileiro 

Comentarista da Jovem Pan lamentou ausência de jogadores criativos na base para priorizar formação de pontas

Bruno Romão
26 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: [email protected]
Vampeta destacou escassez no futebol brasileiro.

Vampeta, ex-jogador e comentarista da Jovem Pan (Reprodução)

PUBLICIDADE

Atuando em uma época repleta de “maestros”, Vampeta acredita que a posição de camisa 10 se encontra em “extinção”. Em discurso no programa Bate-Pronto, o ex-jogador revelou que o assunto costuma ser falado entre os boleiros, já que a função de criar jogadas no meio-campo se encontra cada vez mais escassa.

“A gente sempre fala quando senta com os ‘bolas’ e eles falam: ‘A gente fazia a diferença com dois atacantes de frente e um camisa 10’. Hoje, os europeus têm esse camisa 10, e a gente só tem homem de beiradas com a perna trocada. Antony, Vinícius Júnior… não tem camisa 10.”, disse.

Seguindo com a análise, Vampeta enxerga que os clubes estão priorizando a formação de pontas com intuito de fechar vendas para o futebol europeu. Neste contexto, houve uma sinalização de que Antony, revelado pelo São Paulo, poderia atuar centralizado no ataque, mas foi deslocado para jogar pelos flancos.

PUBLICIDADE

“Como é que estão matando a base? Vinícius Júnior, Antony, Marquinhos, que está voltando (para o Fluminense). Jogador de beirada é o que os europeus gostam (…) O Antony poderia ser camisa 10, mas fica fazendo firula.”, afirmou.

Vampeta vê poucos camisas 10 no futebol brasileiro

Realizando uma estimativa rápida, Vampeta teve dificuldade para citar meias criativos que atuam no Brasil. Diante disso, o caso de Payet ganhou destaque, já que o francês vem perdendo peso e pode ser decisivo no Vasco ao longo da temporada.

“O Brasil, hoje, tem Raphael Veiga, o Arrascaeta, um camisa 10 por dentro… Alan Patrick. O Bragantino não joga, o Santos não joga, o Corinthians não joga, o São Paulo não joga. O Vasco tem o Payet. Esse ano ele vai jogar porque voltou bem.”, opinou.

“É difícil, estão matando os 10.”, concluiu.

PUBLICIDADE