Home Mídia Esportiva Brasileirão Série A: Globo pode dividir transmissão com outros canais 

Brasileirão Série A: Globo pode dividir transmissão com outros canais 

Campeonato Brasileiro vai ser, parcialmente, transmitido pela emissora de TV até 2029. Times da Liga Forte União negociam com o mercado 

Octávio Almeida Jr
Jornalista graduado pela Universidade da Amazônia (UNAMA), 29 anos. Repórter de campo pela Rádio Unama FM em duas finais de Campeonato Paraense (anos 2016 e 2017). Repórter no site Torcedores.com desde 2018.
Troféu do Brasileirão Série A

Globo transmite o Brasileirão Série A (foto: Lucas Figueiredo/CBF)

O Grupo Globo fechou acordo para transmitir o Brasileirão Série A até 2029. Entretanto, não assinou contrato com todos os clubes. A emissora pode dividir o torneio com outros canais de mídia. É o que deixa claro Mário Bittencourt. 

PUBLICIDADE

O presidente do Fluminense afirma que os integrantes do grupo Liga Forte União (LFU) avaliam todos os cenários de negociação. 

“A gente não trabalha com os olhos virados para uma empresa de televisão. Nosso grupo está no mercado buscando grupos de televisão e mídia que estejam interessados em comprar os jogos da Liga Forte União. Nós trabalhamos com todas as possibilidades. Não olhamos para só uma TV”, iniciou o mandatário, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo

PUBLICIDADE

Uma das ideias, conforme o dirigente, é diversificar o produto no mercado da Comunicação. 

“Trabalhamos com a possibilidade de ter a Globo, de não ter a Globo, de ter outras empresas de mídia. Não temos nada específico nesse sentido ainda”, acrescentou. 

Mário Bittencourt também falou sobre o racha que existe no futebol brasileiro. Além da LFU, existe a Liga do Futebol Brasileiro (Libra), formada por outros clubes do Brasileirão Série A e alguns de divisoes inferiores.  

Este grupo fechou contrato com a Globo. Na visão do presidente tricolor, a diferença é reflexo da falta de união.

PUBLICIDADE

“Acho que o futebol brasileiro precisa amadurecer um pouco mais. Não falo nem sobre a divisão de receitas, que é o principal motivo que criou essa diferença, mas além disso”, opinou. 

“A gente precisa olhar para outras coisas. Por exemplo: em alguns jogos, os clubes escolhem gandulas. Estou falando de coisas simples”, destacou Mário Bittencourt. 

“A maneira que, às vezes, (o Fluminense) é recebido em um estádio quando vamos jogar fora de casa”, relatou.  

“E nem falo de um clube específico, mas tem times que não percebem que somos adversários e não inimigos. Tem a questão de arbitragem. Uma série de coisas”, finalizou o presidente do Fluminense. 

PUBLICIDADE