Home Futebol Endrick, do Palmeiras, diz que cera faz parte do futebol: “Tem de fazer, ninguém é trouxa”

Endrick, do Palmeiras, diz que cera faz parte do futebol: “Tem de fazer, ninguém é trouxa”

Atacante do Verdão, que está servindo a seleção brasileira, relembrou o duelo contra o Boca Juniors no ano passado

André Salem
Jornalista desde 2016, redator do Torcedores.com desde 2022. Apaixonado pelo futebol brasileiro, escrevo principalmente sobre o Brasileirão Série A.
Endrick, atacante do Palmeiras

Endrick em entrevista ao podcast (Reprodução/Youtube)

Destaque do Palmeiras na temporada, o atacante Endrick, que está na seleção brasileira atualmente, esteve no “Palmeiras Cast”, antes de ir representar o Brasil em dois amistosos.

PUBLICIDADE

No papo, Endrick relembrou a eliminação para o Boca Juniors no ano passado, pela semifinal da Libertadores. Rudy Landucci, apresentador do podcast, disse que, se tivesse tido jogo no segundo tempo, o Palmeiras teria goleado. O comunicador relembrou do excesso de cera que fez o time argentino.

Endrick, então, defendeu a cera feita pelo Boca. Na opinião dele, isso faz parte do futebol e o clube argentino foi esperto em não deixar a bola rolar.

PUBLICIDADE

“Ficou 20 minutos de jogo parado (contra o Boca). Perdemos 20 minutos com os caras caído no chão. Mas, isso é do futebol, eu não critico, não, porque eles estão certos. Ninguém é trouxa, a gente tem que fazer mesmo, isso é futebol. A gente tem que ter um pouco de malandragem”, disse Endrick.

Endrick teve experiência parecida na seleção brasileira

Em seguida, o atacante relembrou o jogo contra a Argentina pelo pré-Olímpico, em que o Brasil precisava marcar um gol, mas parou na cera.

“A gente foi jogar contra a Argentina no pré-Olímpico, os caras fizeram um gol e não teve mais jogo. Era falta para nós, eles chutavam a bola para longe. Caíam no chão e ficavam três minutos. Os caras são espertos”, disse o atacante.

Como lidou com a eliminação na Libertadores

Por fim, Endrick lamentou não ter vencido a Libertadores do ano passado. O atacante contou que sentiu a derrota, mas que espera ainda voltar e vencer a competição pelo Verdão.

PUBLICIDADE

“Foi difícil demais a desclassificação. Eu não sou de chorar, mas quando o juiz apitou, eu olhei para trás e vi o torcedor indo embora, eu não consegui segurar. Mas, se Deus quiser, um dia vou voltar e conquistar uma Libertadores”, finalizou Endrick.