Home Futebol João Cancelo, do Barcelona, faz críticas a Guardiola e ao Manchester City

João Cancelo, do Barcelona, faz críticas a Guardiola e ao Manchester City

Atualmente emprestado para o Barça, o lateral-direito se mostrou decepcionado com comentários do ex-treinador

William Nunes
Colaborador do Torcedores
João Félix e Cancelo juntos após o gol marcado pelo Barcelona contra o Porto na fase de grupos da Champions League 2023/24

João Félix e Cancelo juntos após o gol marcado pelo Barcelona contra o Porto na fase de grupos da Champions League 2023/24 (IMAGO / NurPhoto)

A situação entre João Cancelo, lateral do Barcelona e o seu ex-clube, o Manchester City, está cada vez se deteriorando mais. Nesta semana, o atleta deu uma entrevista ao jornal “A bola” alegando que “mentiras foram contadas sobre sua saída do clube inglês”.

PUBLICIDADE

João Cancelo atuou por vários anos no Manchester City, conquistando as edições 2021 e 2022 da Premier League. Entretanto, em 2023, foi emprestado para o Bayern de Munique e, após retornar à Inglaterra, foi repassado para o Barcelona.

“Mentiras foram contadas! Nunca fui um mau companheiro de equipe para eles e você pode perguntar a (Nathan) Ake ou Rico (Lewis). Não tenho nenhum complexo de superioridade ou inferioridade em relação a eles, mas essa é a opinião do técnico”, afirmou, fazendo críticas à Pep Guardiola.

PUBLICIDADE

“Fiquei porque não é verdade. Acho que o Man City foi um pouco ingrato comigo quando disseram isso, porque fui um jogador muito importante nos anos em que estive lá. Nunca falhei no meu compromisso com o clube, com os torcedores e Sempre dei tudo, lembro de uma época em que fui assaltado e agredido e no dia seguinte estava jogando no Emirates contra o Arsenal”, acrescentou.

Guardiola não entrou em detalhes sobre a situação de João Cancelo antes da ida para o Barcelona

Ainda na temporada passada, quando Cancelo foi repassado para o Bayern de Munique, Guardiola comentou sobre a questão durante coletiva de imprensa, dando a entender que o motivo da saída era o desejo do português de “atuar sempre”.

“A personalidade dele, a minha, ele adora jogar. Ele treina melhor, na situação dele agora ele não joga muito. Nos últimos anos um dos jogadores com mais minutos. Ele precisa jogar para ser feliz, decidimos deixá-lo ir para Munique. Ele quer jogar todos os jogos e espero que possa em Munique”, falou o treinador.