Home Futebol Mauro Cezar critica torcida única após confronto entre torcedores de Atlético-MG e Cruzeiro

Mauro Cezar critica torcida única após confronto entre torcedores de Atlético-MG e Cruzeiro

Jornalista se manifestou sobre a violência em Belo Horizonte, neste sábado (2), vitimou um homem

Paulo Foles
Jornalista, amante da escrita e apaixonado por esportes. Falo sobre futebol internacional, nacional e esportes americanos, principalmente NFL e NBA. Santista e apreciador do bom futebol. Twitter: @PaulFoles
Mauro Cezar critica o SPFC

Mauro Cezar critica o SPFC. Foto: Reprodução

Em opinião nas redes sociais, Mauro Cezar Pereira voltou a discursar contra a torcida única nos estádios do Brasil. Ele argumentou que essa lei não impede que grupos de torcedores continuem brigando nas ruas.

PUBLICIDADE

“Torcida única nos clássicos não serve para nada, mas em MG também adotaram essa excrescência. Enquanto isso, seguem os conflitos e mortes”, destacou o jornalista.

Neste sábado (2), mais um episódio lamentável de violência aconteceu no futebol brasileiro: torcidas organizadas de Atlético-MG e Cruzeiro entraram em confronto em Belo Horizonte e um homem foi morto.

PUBLICIDADE

De acordo com a Polícia Militar (PM), três pessoas foram baleadas e mais outra atingida com uma pancada na cabeça. No fim das contas, até esse momento, dois suspeitos foram presos. O motoboy Lucas Elias Vieira Silva, um dos baleados, foi encaminhado para o hospital, mas acabou falecendo.

Os dois rivais entraram em campo na capital mineira na tarde deste sábado (2), sendo o Atlético-MG diante o Ipatinga, na Arena MRV, e o Cruzeiro contra o Uberlândia, no Mineirão. O Galo venceu por 3 a 0, enquanto a Raposa bateu o adversário por 2 a 0.

Felipão adota cautela com os jovens do Atlético-MG

PUBLICIDADE

“Depende com quem vamos jogar. Com River Plate, Flamengo, Corinthians, Grêmio, é uma situação teremos que pensar. Eles vão ganhando chances, vão acrescentando numa situação de equilíbrio, como o Alisson vem fazendo”, declarou o treinador do Galo, que explicou mais:

“Às vezes temos que pensar para não colocar o menino numa situação ruim. Estamos dando oportunidades nos treinos, devagar nos jogos, e vamos ganhando atletas. Eles vão ganhando experiência e tendo uma participação maior. Não se pode cobrar ou dar responsabilidades aos garotos, mas sim aos outros, para que eles entrem tranquilamente”, disse o experiente comandante.