Home Mídia Esportiva 10 anos sem Luciano do Valle: relembre grandes narrações da carreira na mídia esportiva

10 anos sem Luciano do Valle: relembre grandes narrações da carreira na mídia esportiva

Um dos maiores nomes da história da imprensa esportiva no Brasil nos deixava em 19 de abril de 2014

Marco Maciel
Marco Maciel é jornalista que atua cobrindo futebol brasileiro, com ênfase para o futebol gaúcho com Internacional e Grêmio e para a mídia esportiva. Graduado em jornalismo pela pela PUC-RS, em 2007, está no Torcedores.com desde 2022; passou pela redação e assessoria de imprensa da ALAP (Associação Latino-Americana de Publicidade); edita o site SAMBARIO, voltado para sambas-enredo, desde 2004; e passou a escrever para o site NasPistas.com a partir de 2023.
Luciano do Valle, um dos maiores narradores do Brasil

Luciano do Valle, um dos maiores narradores do Brasil (Reprodução/Band)

Os torcedores jamais se esquecerão daquela tarde de sábado. Há exatamente 10 anos, Luciano do Valle (1947-2014) morria de infarto aos 66 anos durante viagem para Uberlândia, onde transmitiria pela Band no dia seguinte o confronto entre Atlético-MG x Corinthians, no Parque do Sabiá.

PUBLICIDADE

A notícia entristeceu os amantes não apenas do futebol, como também de todos os esportes. Luciano do Valle teve participação notável na popularização de diversas modalidades no Brasil, como vôlei, basquete e futebol americano, além da Fórmula Indy e das lutas de Maguila. O país chegava a parar para torcer por Rui Chapéu na sinuca.

O Show do Esporte aos domingos marcou época, eternizando a Bandeirantes como o canal do esporte. O locutor esportivo, apresentador e empresário, também trabalhou em emissoras como Globo, Record e SBT.

PUBLICIDADE

Como uma forma de homenagem ao eterno Luciano do Valle, o Torcedores.com recorda algumas das maiores narrações do inesquecível Bolacha, como era conhecido.

“Não há palavras para descrever”, narrou Luciano do Valle sobre gol de Zico com a seleção brasileira

O amistoso entre Brasil e Iugoslávia serviu para Telê Santana acabar com as dúvidas se Zico deveria ou não ir para a Copa do Mundo do México, em 1986. No confronto no Estádio do Arruda, no Recife, o Galinho arrancou, driblando um zagueiro e um goleiro em zigue-zague, mandando para o gol.

O lance gerou uma das mais icônicas narrações de Luciano do Valle. “Não há palavras pra descrever o gol de Zico. É de placa, é de placa, é de placa! Ele é fenomenal, ele é gênio, gênio, gênio”, bradou, numa locução que se tornou a identidade da antologia proporcionada pela camisa 10.

“Émerson vai ganhar! O Brasil ganhou!”

Luciano do Valle foi um dos entusiastas da Fórmula Indy, se tornando um dos maiores incentivadores da modalidade norte-americana. Na transmissão das 500 Milhas de Indianápolis de 1989, a vibração do narrador com a vitória de Émerson Fittipaldi, a primeira de um brasileiro na lendária prova, marcou época.

PUBLICIDADE

Logo após ser ultrapassado por Al Unser Jr na reta final da corrida, Emerson Fittipaldi conseguiria encostar no norte-americano no oval de Indianápolis Motor Speedway. “Vai que ‘cê’ passa. Agora. É o Brasil! Vamos lá! Força mais um pouquinho”, bradava Luciano.

Durante a perseguição, Al Unser Jr se chocaria contra o muro restando apenas duas voltas para o encerramento, com a bandeira amarela confirmando a vitória do brasileiro. “Bateu Al Unser. Emerson vai ganhar. Emerson vai ganhar. O Brasil ganhou”, gritava Luciano do Valle euforicamente.

Josimar espetacular

Em um dos mais belos gols marcados pela seleção brasileira em Copas do Mundo, Josimar suplantou a marcação de todos os poloneses que lhe cercavam, em arrancada pela ponta-direita. Mesmo sem ângulo, o lateral-direito, a maior surpresa de Telê Santana no Mundial do México em 1986, acertou um chute perfeito, marcando o segundo na goleada por 4 a 0 pelas oitavas de final.

“Josimar espetacular. Com tudo concentrado nele, a força toda dele. Olha o que ele fez! Brasil, Brasil!”, vibrou Luciano do Valle, com o eco inserido pela Bandeirantes dando um ar ainda mais nostálgico para a narração.

PUBLICIDADE

“Eu sou o capeta!”, disse Luciano do Valle em gol histórico de gol do Corinthians

As narrações inesquecíveis para gols do Timão tornaram locutor eterno nos corações da Fiel.

Antes do confronto contra o Real Madrid pelo Mundial de Clubes da Fifa de 2000, o vice-presidente do clube merengue Juan Onieva declarou não conhecer Edilson. O Capetinha teria prometido marcar um gol driblando o francês Karembeu no meio das pernas.

O atacante cumpriria a promessa com louvor, com a história sendo contada assim por Luciano do Valle: “E aí ele disse: eu sou o Edilson, o capeta”, apresentou. “Muito prazer, vai buscar lá dentro”.

Antologia de Ronaldo Fenômeno

Luciano do Valle narrou com a maestria de sempre um dos mais belos gols de Ronaldo Nazário. Já em fim de carreira, o camisa 9 marcou um gol antológico pelo Corinthians contra o Santos, pela decisão do Campeonato Paulista de 2009, driblando o lateral santista Triguinho e encobrindo o goleiro Fábio Costa na Vila Belmiro.

PUBLICIDADE

“Por cobertura: demais, demais! Goooolaço aço golaço golaço. Ele é fora de série, a gente não cansa de dizer”, narrou.

18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial