Home Futebol Flavio Prado cobra mudança no futebol brasileiro: “Fim da picada”

Flavio Prado cobra mudança no futebol brasileiro: “Fim da picada”

Jornalista demonstrou revolta com duração dos campeonatos estaduais no início da temporada

Bruno Romão
26 anos, jornalista formado pela Universidade Estadual da Paraíba, amante da escrita, natural de Campina Grande e um completo apaixonado por futebol. Contato: [email protected]
Brasileirão Série A.

Brasileirão Série A, organizado pela CBF (Alexandre Schneider - Getty Images)

Antes do desfecho dos principais estaduais do Brasil, Flavio Prado protestou contra o calendário do futebol brasileiro. Como a Libertadores teve início em meio às finais regionais, o comunicador acredita que o “conflito” de datas precisa ser repensado pela CBF, já que o Grêmio, finalista do Gauchão, utilizou um time reserva no duelo contra o The Strongest.

PUBLICIDADE

“Não pode ter o raio do campeonato regional existindo quando começa a fase de grupos da Libertadores. É o fim da picada! Pulou tanta data, ficou um saco no meio de semana sem jogo para sobrar essa tranqueira no final de semana. É um negócio impressionante. Não acaba.”, disparou Flavio Prado, no Bate-Pronto, da Jovem Pan.

“Ganhar do Juventude… o que vai mudar na vida do Grêmio? Não muda nada. É pensar muito pequeno jogar com a cabeça em um jogo menos importante. É um negócio muito louco.”, acrescentou.

PUBLICIDADE

Como o Palmeiras também deve poupar parte dos titulares, Flavio Prado detonou a estratégia de priorizar um título estadual. Isso porque a Libertadores possui mais peso e o título paulista, no caso do time alviverde, não será capaz de “salvar” o ano.

“Os clubes jogam de uma maneira medíocre e pensam pequeno. Já pensou se o Flamengo só ganhar o Estadual. O que ele faz com isso aí? Nada. Se o Palmeiras só ganhar o Estadual? Nada. Se o Santos ganhar o Estadual e não subir? Não adianta nada. É um negócio impressionante como os caras pensam pequeno.”, afirmou.

Mauro Cezar vê risco no Grêmio

Derrotado na Bolívia, o Grêmio está ciente que a margem de erro na sequência da Libertadores será menor. Adotando a mesma linha de Flavio Prado, Mauro Cezar acredita que o revés do clube gaúcho pode custar caro na reta final da fase de grupos.

“Eu acho um absurdo o que fez o Grêmio, que levou um time de reservas para jogar com o The Strongest e perdeu. Não dá para jogar terça-feira na Bolívia e no fim de semana com o Juventude? É impossível isso? O jogo do Juventude é em Porto Alegre e está empatado.”

PUBLICIDADE

“De repente chega no final, o grupo do Grêmio é encardido porque tem Strongest e Estudiantes, e esse resultado pode pesar no final.”, avisou.