Home Futebol Rizek critica CBF após escolha de árbitro para clássico entre Flamengo e Botafogo

Rizek critica CBF após escolha de árbitro para clássico entre Flamengo e Botafogo

Botafogo pediu para CBF mudar a escala de arbitragem para o clássico de domingo, mas FIFA sequer permite tal alteração

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016. Radialista na Paiquerê 91,7.
De La Cruz, Junior Santos

De La Cruz e Junior Santos disputam jogada em Flamengo x Botafogo (Vitor Silva / Botafogo)

O jornalista André Rizek, durante o Seleção Sportv, criticou a CBF pela escalação de Raphael Claus para apitar o clássico carioca entre Flamengo x Botafogo no domingo (28), às 11h, no Maracanã.

PUBLICIDADE

Isso porque Claus está em meio às acusações de John Textor sobre manipulação de resultados no futebol brasileiro. O dono da SAF do Botafogo levou o nome de Claus a seu depoimento no Senado Federal, na CPI da Manipulação de Jogos e Apostas Esportivas, e destacou que a dupla entre Raphael Claus, como árbitro principal, e Daiane Muniz, no VAR, se repetiu 11 vezes, enquanto outras duplas se repetiram em, no máximo, três oportunidades.

“A reflexão que eu faço é se foi a melhor escolha a escala do Raphael Claus para esse jogo. Não pela qualidade dele, mas porque a gente sabe, por postagens, que o Claus é um dos árbitros na mira do John Textor”, destacou André Rizek sobre a polêmica com o nome do árbitro. Ele seguiu:

PUBLICIDADE

“A CBF tem que se guiar nisso? Claro que não. Mas tem que ser ‘safa’. Na história do futebol conheço vários exemplos de dirigentes que procuram a federação, a própria CBF, e chega a um acerto para não escalar árbitro de tal estado, ou quando um árbitro que tenha um histórico envolvendo aquele clube (fica fora da escala).”

Para Rizek, CBF poderia ter “evitado o barulho” com o nome de Claus

André Rizek disse que Raphael Claus é um dos principais árbitros do futebol brasileiro e que a CBF poderia tê-lo poupado da escala no jogo do Botafogo, ainda mais em um clássico.

Segundo o apresentador, a entidade máxima do futebol brasileiro poderia ter “evitado o barulho”.

“A CBF, por meio do presidente, está processando o Textor. Não vai tirar o processo. Ele já deixou claro que o processo é contra o CPF do Textor e não contra o CNPJ do Botafogo, já disse que o Botafogo tem portas abertas na CBF. Então a CBF poderia ter evitado esse barulho, até para proteger o Claus.”

PUBLICIDADE